Após anulação de julgamento, vereadores absolvem colega cassada em maio

Denize Portolann se salvou da cassação por votação de 10 a 8, porém segue sem retornar ao mandato, já que está afastada judicialmente

Cassada em maio na Câmara Municipal de Dourados, a vereadora Denize Portolann (PR) foi absolvida pelos colegas nessa sexta-feira (28) em novo julgamento, realizado após a anulação da primeira sessão, atendendo recomendação do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul). Ela respondia na Casa por quebra de decoro.

Após investigação na Operação Pregão, Denize foi afastada um mês antes da sessão que a cassou, assumindo em seu lugar a suplente Lia Nogueira (PR). Portolann foi acusada de cometer ilícitos cometidos quando foi secretário de Educação, participando de processos licitatórios fraudados. Ela também ficou presa por quatro meses.

Com a anulação da primeira sessão, que envolvia também os vereadores Idenor Machado (PSDB), Cirilo Ramão (MDB) e Pedro Pepa (DEM), Denize teve que passar por novo julgamento. Já seus três colegas conseguiram suspender as sessões na Justiça.

A absolvição veio por 10 votos a favor e oito contrários. Apenas o vereador Juarez de Oliveira (MDB) não participou da votação. Consideram improcedente a denúncia Cido Medeiros (DEM), Carlito do Gás (Patri), Jânio Miguel (PR), Bebeto (PR), Silas Zanatta (Cidadania), Romuldo Ramim (PDT), Junior Rodrigues (PR) e Mauricio Lemes (PSB).

Já Alan Guedes (DEM), Daniela Hall (PSD), Elias Ishy (PT), Lia Nogueira (PR), Marinisa Mizoguchi (PSB), Sergio Nogueira (PSDB), Olavo Sul (Patri), Madson Valente (DEM), Marcelo Mourão (PRP) e Toninho Cruz (PSB) optaram pelo voto favorável a cassação.

Apesar da absolvição, Denize não retorna ao mandato, já que ela está afastada judicialmente do cargo, assim como já ocorre com Idenor, Pepa e Cirilo. Assim, a suplente Lia Nogueira permanece no cargo, até haja outro entendimento da Justiça.

Mais notícias