Publicidade

AO VIVO: Com protestos em todo o País, Câmara ouve ministro da Educação

"Autonomia universitária não é soberania, as universidades têm que respeitar as leis e se preciso a Polícia vai entrar sim nas universidades", diz ministro. 

Com protestos sendo realizados em Mato Grosso do Sul e em todo o País por conta dos cortes feitos pelo Governo Federal nas verbas de institutos e universidades federais, a Câmara dos Deputados ouve na sessão da tarde desta quarta-feira (15) o Ministro da Educação, Abraham Weintraub.

O clima no Legislativo é de tensão, com muitos parlamentares se manifestando contra a decisão do Governo. Eles têm feito perguntas ao ministro e há pouco foi solicitado que os parlamentares e o ministro se atenham ao tema proposto.

“A gente tinha isso no plano de governo e de repente isso tudo virou uma grande celeuma por a gente falar que creche e ensino técnico são prioridade”, reclamou. “Tem um percentual grande da população brasileira que não consegue ler um texto, que não consegue fazer as contas”, argumentou ele, durante a sessão onde são apresentados também indicadores sobre a educação no Brasil.

Protestos 

Pelo menos 2 mil pessoas, entre estudantes e professores, protestam na Avenida Costa e Silva, em frente à UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), contra os cortes orçamentários na educação e contra a proposta de reforma da previdência proposta pelo governo federal.

Para a presidente da Adufms (Associação dos Docentes da UFMS), Marilza Guimarães, os cortes orçamentários na educação vão representar engessamento do ensino e da pesquisa, o que será refletido em diversos setores da sociedade, dentre eles a saúde.

Mais notícias