Abrir mão de cargo deve fazer secretários reavaliarem intenção de disputa, diz líder na Câmara

Líder do prefeito na Câmara, Chiquinho Telles lembra que, em 2020, não haverá mais coligações para chapa de parlamentares

Secretários da Prefeitura de Campo Grande que querem disputar eleição de 2020 devem reavaliar intenção, acredita o líder do chefe do Executivo, Marquinhos Trad (PSD), na Câmara Municipal, vereador Chiquinho Telles (PSD).

Em março, quando substituiu os secretários das pastas de Cultura e Saúde, Marquinhos Trad afirmou que os titulares que quisessem disputar o pleito do ano que vem, deixassem os cargos até dezembro. A medida seria para evitar o uso da função pública como ‘trampolim’ para fins eleitoreiros.

“Acho que são grandes nomes que se dispõem, mas quando se fala em deixar o cargo para ficar no ‘sereno’, alguns mudam de ideia”, disse Chiquinho.

No começo de setembro, Marquinhos disse que já falaram da intenção, ainda não confirmada, os subsecretários Ademar Vieira Júnior, de Direitos Humanos, Carla Stephanini, das Políticas para Mulheres, Maicon Nogueira, da Juventude, e Valdir Custódio, do Procon Campo Grande.

A ponderação quanto a encarar a disputa se deve, avalia o líder, também pelas mudanças na próxima eleição, quando a chapa de vereadores não permitirá coligação com outras legendas. “A eleição ficou mais difícil, não adianta lançar vários candidatos”.

Já a possibilidade de encontrar concorrência com gente do próprio partido ou de quem é aliado ao prefeito, o vereador vê a situação como natural. “O Marquinhos, que é o líder maior do PSD, não pode matar o sonho de ninguém que quer ser candidato e, nós que já somos [vereadores], não podemos escolher com quem disputar”.

Mais notícias