‘Seria inconsequente em rejeitar’, diz Marun sobre vaga no CNMP em 2019

Ministro pretende ‘tirar férias’ nos primeiros meses do ano

Sem concorrer às eleições neste ano e atuando como ministro da Secretaria de Governo da Presidência, Carlos Marun (MDB) disse nesta sexta-feira (26) em visita a Campo Grande que seria ‘inconsequente em rejeitar’ uma vaga no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) em 2019.

O ministro é cotado para ocupar vaga destinada à Câmara dos Deputados no conselho, mas prevista apenas para o segundo trimestre do ano. “Tenho duas coisas a fazer a partir do dia 1º de janeiro de 2019, que são tirar férias e analisar essa indicação. Mas uma coisa não interfere na outra, já que a vaga seria somente para o segundo trimestre”, avaliou.

Carlos Marun abriu mão de se candidatar à reeleição na Câmara dos Deputados ou a qualquer outro cargo político para permanecer na secretaria de Michel Temer (MDB). Até então, o deputado de Mato Grosso do Sul estará fora do Palácio do Planalto a partir de janeiro.

A especulação sobre o destino de Marun no CNMP começou depois que deputados procuraram o ministro para que ele se colocasse disponível a ocupar a cadeira destinada à Câmara dos Deputados. Não é necessário ser deputado para ocupar a função.

Atualmente, quem desempenha o papel no conselho é Gustavo Rocha, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil. Rocha está na função desde 2015 e deixará o cargo no início do ano que vem.

“Daqui até o fim do ano meu foco é terminar tudo o que o governo Temer se propôs a fazer. Mas isso não quer dizer que estou afastando do rol de possibilidades. É um desafio e eu seria inconsequente em rejeitar essa indicação”.

Mais notícias