Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

PT tem 10 dias para apresentar novo candidato após Lula ser barrado pelo TSE

Justiça Eleitoral também determinou que não poderá ser feita campanha para Lula

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deu um prazo de 10 dias para que o Partido dos Trabalhadores (PT) faça oficialmente a mudança do seu candidato à presidência da República.

A decisão foi anunciada quando o Tribunal barrou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão foi tomada a partir de 16 impugnações á candidatura apresentadas ao tribunal. A maioria formada entendeu que Lula está inelegível com base na Lei de Ficha Limpa, aprovada em 2010, que vetou a candidatura de quem foi condenado por órgão colegiado.

Ao que tudo indica, o atual candidato a vice e ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, deve ser inscrito como cabeça da chapa, incluindo a deputada Manuela D’Ávilla, do PCdoB, como vice.

Mas os dois só poderão iniciar a campanha quando a substituição for oficializada no TSE.

Campanha

Apesar da decisão, o PT afirmou que ele é candidato, na estreia do horário eleitoral no rádio com os postulantes ao Planalto.

Lula está preso desde 7 de abril na sede da Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba, em função de sua condenação a 12 anos e um mês de prisão, na ação penal do caso do triplex em Guarujá (SP), que foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre.

Justiça
Em nota divulgada no início desta madrugada, antes mesmo do encerramento da votação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que indeferiu o registro da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT informou que vai recorrer da decisão e que “continuará lutando por todos os meios para garantir sua candidatura nas eleições de 7 de outubro”.

O partido classificou a decisão de “violência contra os direitos de Lula e do povo que quer elegê-lo presidente da República”. A manifestação do PT foi feita quando ainda votava a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, mas com placar de 6 a 1, resultado que formava maioria contra a candidatura do ex-presidente.

Na nota, o partido diz que pretende apresentar “todos os recursos aos tribunais para que sejam reconhecidos os direitos políticos de Lula previstos na lei e nos tratados internacionais ratificados pelo Brasil”. Diz ainda que pretende defender o candidato nas ruas, “junto com o povo, porque ele é o candidato da esperança”.

 

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...