PSL tem que ser olhado ‘de forma carinhosa’ na disputa pela Mesa Diretora, dispara David

Partido do presidente eleito Jair Bolsonaro

Reconduzido para o mandato na Assembleia Legislativa, o deputado eleito Carlos Alberto David dos Santos, o Coronel David (PSL), espera que seu partido seja visto “de forma carinhosa” pelos colegas de plenário na disputa pela nova composição da Mesa Diretora. As negociações entre os parlamentares já está começaram e alguns nomes fortes já começam a ser ventilados.

“O PSL elegeu, além de mim o Capitão Contar, ambos com votação bastante expressiva e tem que ser olhado de forma carinhosa pelos colegas, espero que essa discussão nos também envolva, já que também é o partido do presidente eleito Jair Bolsonaro”, defendeu. Ele disse que ainda não foi procurado pelos colegas para tratar do assunto.

Durante sua visita à Casa de Leis, na sessão desta terça-feira (30), David também afirmou que um eventual convite de Reinaldo para que ele assuma alguma pasta “dependeria de várias questões” e que gostaria de desfrutar do mandato.

“Queria muito ser deputado, mas se houver um convite da parte do governador, vou ter que conversar com quem me ajudou, ouvir as pessoas, entendo que meu nome é sempre lembrado pela minha atuação na segurança pública por nunca ter dado paz e folga para bandido. Com a minha volta, bandido não vai ter sossego e vida boa”, considera.

Jair Bolsonaro, na sua avaliação, já sinalizou que apoiará o Governo Estadual no monitoramento da fronteira com Paraguai e Bolívia, cujo ‘abandono’ pela União é muito criticado pela gestão Azambuja. “Bolsonaro defende uma política de defesa das nossas fronteiras e ele [Reinaldo] pode querer alguém voltado a essa questão”, pontua.

David também lembra que sete deputados foram eleitos na ‘chapinha’ onde o PSL foi acomodado e que vai fazer parte da base aliada do governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Apoiei no 1° turno, apoiei no 2° também e vou continuar apoiando durante meu mandato”, diz.

Essa é a primeira visita de Coronel David à Assembleia, desde sua saída, quando o deputado Barbosinha (DEM) deixou a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) para dedicar-se ao mandado e sua reeleição.

Mais notícias