Nelsinho Trad e Soraya Thronicke são diplomados senadores de MS

Cerimônia acontece na noite desta sexta-feira, em Campo Grande

Foto: Minamar Junior

Os senadores eleitos para representar Mato Grosso do Sul nos próximos oito anos em Brasília, Nelsinho Trad (PTB) e Soraya Thronicke (PSL), foram diplomados, na noite desta sexta-feira. A cerimônia realizada pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) acontece no auditório do Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, em Campo Grande.

Pouco antes da diplomação começar, o senador eleito com 424.085 votos, Nelsinho Trad, afirmou que com a eleição federal, a responsabilidade “aumenta e muito”. O ex-prefeito de Campo Grande também lembrou da “história triste” deixada para trás.

“Vou ficar atento às reformas encabeçadas pelo presidente Temer, que deixará de herança para o presidente eleito Jair Bolsonaro. Elas devem ser debatidas com serenidade e responsabilidade. Vou auxiliar o governo Bolsonaro no que for possível”. Ainda segundo Nelsinho, pautas que tratem sobre o desenvolvimento, emprego e geração de renda em Mato Grosso do Sul serão suas prioridades no Senado Federal.

Durante seu discurso após ser diplomado, Nelsinho chamou atenção ao agradecer a família e convidar os filhos para expor cartaz com última entrevista concedida pelo pai, Nelson Trad, que dizia que seu sonho era ser senador da república.

A senadora eleita pelo PSL com 373.712 votos, afirmou que inicia um novo momento na política. “Estamos inaugurando uma nova era na política brasileira. Enterrando um passado muito triste e eu estou com muita confiança”, disse.

Os suplentes de Soraya, Rodolfo Oliveira Nogueira e Danny Fabrício, e de Nelsinho, José Chagas dos Santos e Terezinha Bazé de Lima, também foram diplomados nesta noite.

Confira abaixo a biografia dos dois senadores eleitos:

Soraya

Douradense, a advogada e empresária Soraya Thronicke foi criada em Campo Grande, é casada e mãe de uma filha. Cursou MBA na Fundação Getúlio Vargas, passou pela Escola de Governo da Universidade de Harvard J.F. Kennedy, nos Estados Unidos da América.

Atuando na Capital e em Brasília, Soraya é sócio de escritório de advocacia ao lado de seu segundo suplente, Danny Fabrício Cabral Gomes, defende especialmente questões jurídicas ligadas ao agronegócio, direito empresarial, família e sucessões, mulheres, crianças e adolescentes em situação de risco, além de contratos e ações internacionais.

Participante de movimentos de rua, ela liderou protestos contra corrupção e patrocinou ações judiciais, entre elas ação popular contra a JBS, seus sócios Joesley e Wesley Batista e Estado de Mato Grosso do Sul. Autora de um dos pedidos de impeachment contra o governador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), obteve a segunda vaga no Senado Federal pelo Partido Social Liberal com pouco mais de 373 mil votos.

Nelsinho

Nascido em 5 de setembro de 1961, Nelson Trad Filho (PTB) é filho do ex-deputado Nelson Trad e da professora Therezinha Mandetta Trad. Primogênito de cinco irmãos, foi aprovado no vestibular de medicina da Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro, aos 17 anos, e é especializado em Cirurgia Geral, Urologia, Medicina do Trabalho e Saúde Pública.

Pai de três filhos, Nelson Trad Neto, Maria Cecília e Maria Gabriela, Nelsinho começou a carreira política como diretor-adjunto do Previsul (Instituto de Previdência de Mato Grosso do Sul) no governo Pedro Pedrossian. Depois, foi eleito vereador por Campo Grande em 1992 e reeleito sucessivamente em 1996 e 2000. Ele presidiu o legislativo municipal no biênio 2001/2002.

O petebista conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa, sendo o deputado mais bem votado nas eleições de 2002, com 36.372 votos. No ano seguinte, migrou para o PMDB, hoje MDB, e vencendo a disputa pela prefeitura de Campo Grande, no primeiro turno com 213 mil votos, 57% do total, tendo como vice a ex-conselheira do TCE-MS, Marisa Serrano.

Foi reconduzido ao cargo em 2008, com 288 mil votos, 71,41% dos votos válidos, ao lado do vice, Edil Albuquerque. Ele encerrou o mandato como melhor prefeito entre todas as capitais brasileiras, segundo o Ibope, com 85% de aprovação.

Empossado Secretário de Estado de Articulação, de Desenvolvimento Regional e dos Municípios, em 2013, ele deixou o cargo para concorrer ao Governo do Estado nas eleições de 2014, mas ficou em terceiro lugar na disputa. Em 2015 voltou para o PTB, assumiu o comando estadual da sigla e foi eleito Senador da República com pouco mais de 424 mil votos.

Mais notícias