Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Geraldo cobra transparência em escolha do PSDB para o senado e mais coragem

Deputado quer disputar o Senado pelo PSDB

 

Além dos secretários Eduardo Riedel, governo, Marcelo Miglioli, infraestrutura, e até mesmo do ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB), o deputado federal por quatro mandatos Geraldo Resende, é mais um tucano interessado em ser o candidato do PSDB ao cargo de Senador da República.

“Caso tenhamos uma vaga, temos que ter critérios”, afirmou Geraldo, que revelou que cobrou do presidente regional do PSDB, deputado estadual Beto Pereira, uma definição sobre escolha do pré-candidato.

Geraldo frisa sua experiência política e cita seus dois mandatos como vereador em Dourados, uma eleição para deputado estadual e quatro vezes seguidas eleito para o cargo de deputado federal. Ele revela que tem apoio ‘hipotecado’ de 50 municípios à sua candidatura.

“Meu projeto é a reeleição do governador, não quero colocar fator desagregador, se acaso devemos ofertas as duas vagas para possíveis aliados, que seja de forma bastante democrática e transparente. Que isso possa ser definido não por meia dúzia de pessoas, mas por todo o partido”, disse Resende.

Coragem

De acordo com o parlamentar, no último final de semana durante evento do PSDB no município de Ivinhema, apenas ele e o governador enfatizaram a candidatura de Geraldo Alckmin à presidência da República.

“Espero que que isso (falta de apoio público ao governador paulista) não se repita em Aquidauana (local do próximo encontro do PSDB). Os companheiros parecem um pouco amedrontados no cenário que hoje se desenha no Estado. Se ele (Alckmin) já deu provas de ser o mais preparado, de ser o mais competente, gerindo estado de São Paulo por quatro mandatos, porque essa defesa tão tímida do nosso pré-candidato à presidência da República?”, questionou Geraldo.

Pesquisas

Resende também cobrou do partido que a definição aconteça até o começo de abril, e alerta para as pesquisas de intenção de voto para o cargo de Senador, que segundo ele hoje estão sendo feitas de forma equivocada, sem colocar todos os pré-candidatos já definidos.

 “Uma hora não incluem nosso nome no disco que é apresentado na pesquisa estimulada e outra hora acabam incluindo os nomes dos três pré-candidatos do mesmo partido, o que acaba gerando uma realidade distorcida para o eleitor. Não é correto os institutos de pesquisa agirem dessa forma e defendo que o departamento jurídico da Executiva Estadual do PSDB bata às portas do Tribunal Regional Eleitoral para cobrar a inclusão do nosso nome em todas as pesquisas que forem registradas junto à Justiça Eleitoral”, finalizou o deputado federal.

Você pode gostar também