Fachin, relator da Lava Jato, assume vaga no TSE e vai julgar candidatura de Lula

Ex-presidente estaria inelegível após condenação pela Lava Jato

Ministro relata processos da Lava Jato no STF (Valter Campanato/Agência Brasil)

O relator dos processos da Operação Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Edson Fachin, tomou posse nesta quinta-feira (16) como ministro titular no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Como titular na Corte, Fachin deverá participar do julgamento do registro de candidatura à Presidência da República do ex-presidente Lula (PT), apresentado nesta quarta-feira (15) pelo Partido dos Trabalhadores.

O julgamento deve decidir se Lula pode participar das eleições, mesmo condenado em segunda instância por processo decorrente da Operação Lava Jato, o que o tornaria inelegível pelas regras da Lei da Ficha Limpa.

Fachin já ocupava uma vaga no TSE como ministro substituto, e assumiu o posto efetivo após uma eleição simbólica no início do mês. Ele irá ocupar a vaga deixada pelo ministro Luiz Fux, que encerrou seu mandato de quatro anos.

O TSE é composto por sete ministros titulares, três deles oriundos do STF. Nesta quarta-feira (15), a ministra Rosa Weber assumiu também uma vaga na composição da Corte, ocupando o posto de nova presidente do Tribunal.

Mais notícias