Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Ex-governador teve direitos cassados na ditadura e defendeu presos políticos

Foi governador de MS por duas vezes

O ex-governador de Mato Grosso do Sul, Wilson Barbosa Martins, que morreu na manhã desta terça-feira (13), em Campo Grande, era formado em direito e teve os direitos políticos cassados durante a ditadura militar.

De acordo com a biografia do ex-governador, ele formou-se no curso de Direito em 1939, na USP (Universidade São Paulo). De volta a Campo Grande, passou a trabalhar junto à administração pública, exercendo a função de secretário-geral da prefeitura de Campo Grande. Em 1945 fundou a UDN (União Democrática Nacional) no Estado, e elegeu-se suplente do senador por Mato Grosso João Vilasboas no pleito de outubro de 1954.

Eleito prefeito de Campo Grande na legenda da UDN em 1958, assumiu a prefeitura em janeiro do ano seguinte. Em 1962 elegeu-se deputado federal por Mato Grosso, ainda na UDN. Deixando a prefeitura em janeiro de 1963, ocupou a cadeira na Câmara dos Deputados em fevereiro seguinte.

Em fevereiro de 1969 teve seu mandato parlamentar cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos pelo Ato Institucional nº 5, editado em dezembro do ano anterior, voltando a exercer a advocacia. Entre 1979 e 1981, Wilson Martins foi o primeiro presidente da seção da OAB MS (Ordem dos Advogados do Brasil do Mato Grosso do Sul), defendendo presos políticos, segundo publicação da Assembleia Legislativa.

Em 1974 foi eleito para o diretório do MDB mas não ocupou o cargo, aguardando obter do Tribunal Superior Eleitoral a recuperação de seus direitos políticos, o que só viria a ocorrer com a anistia decretada em agosto de 1979.

Com a extinção do bipartidarismo em 29 de novembro de 1979 e a consequente reformulação partidária, filiou-se ao PMDB, tornando-se presidente do partido. Nas eleições de novembro de 1982 foi eleito governador do estado de Mato Grosso do Sul na legenda do PMDB, derrotando José Elias Moreira, candidato do Partido Democrático Social (PDS), e foi empossado em março do ano seguinte.

Você pode gostar também