Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Corrêa fecha apoio do DEM, mira PT e já tem votos suficientes para presidir Assembleia

Tucano revelou adesão de Barbosinha e Zé Teixeira à sua candidatura

Corrêa e Teixeira podem figurar na Mesa Diretora da Assembleia para próxima gestão (Foto: Divulgação/Victor Chileno/ALMS)

O deputado estadual reeleito pelo PSDB, Paulo Corrêa, segue trabalhando para suceder Júnior Mochi (MDB) na presidência da Assembleia Legislativa. Nesta quinta-feira (6) ele anunciou apoio de mais um partido e alega já ter número suficientes de votos para eleição que deve acontecer na 1ª semana de fevereiro de 2018.

Corrêa revelou que garantiu o apoio dos dois deputados do DEM, também reeleitos, Zé Teixeira, atual 1º secretário da Casa, e José Carlos Barbosa, o Barbosinha.

O tucano terá um encontro, logo após a sessão desta quinta-feira, com os dois deputados reeleitos pelo PT, Pedro Kemp e Cabo Almi.

Além dos dois democratas, Paulo Corrêa já garantiu apoio à sua candidatura dos três deputados do MDB, Eduardo Rocha, Marcio Fernandes e Renato Câmara, de Londres Machado (PSD), do chamado G6, composto por Coronel David (PSL), Herculano Borges (SD), Lucas de Lima (SD), Evander Vendraini (PP), Gerson Claro (PP) e Neno Razuk (PTB), além de pelo menos três de seus colegas de bancada, Marçal Filho, Professor Rinaldo e Felipe Orro (este ainda não anunciou seu apoio).

Com as adesões de Barbosinha e Teixeira, Paulo Corrêa já teria, sem síntese, 16 dos 24 deputados que podem votar na escolha do próximo presidente da Assembleia, para o biênio 2019-2020.

Além da presidência, a 1ª secretaria, responsável pelas finanças do legislativo estadual, também está em disputa e atrai interesse dos parlamentares. Na busca por uma chapa consensual, Corrêa afirmou que “será 1º secretário quem trouxer maior número de assinaturas (dos colegas) de apoio”.

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...