Bancada do PT protesta contra prisão de Lula na Assembleia

Parlamentares criticaram movimentos pela prisão de petista

Seguindo um movimento que tem ocorrido nas Assembleias Legislativas de vários estados, os deputados estaduais da bancada do PT organizaram um protesto silencioso nesta terça-feira (17) contra a prisão do ex-presidente Lula (PT).

As placas que informam os nomes e cargos dos parlamentares foram substituídas com placas com a foto do ex-presidente e a frase “Lula Livre”. Manifestantes pró-Lula também ocuparam assentos com cartazes em apoio ao petista.

Na tribuna, o deputado João Grandão (PT) parabenizou os movimentos da CUT (Central Única dos Trabalhadores), MST (Movimento Sem Terra) pela mobilização pró-Lula e por “lembrarem as pessoas onde a gente chegou e porque chegou”.

“O que aconteceu com a Dilma foi um massacre à democracia, um golpe que tirou da Presidência uma mulher lutadora que foi acusada daquilo que não fez. Até hoje não conseguiram comprovar as pedaladas fiscais”, disse Grandão.

O deputado Amarildo Cruz (PT) complementou. “Vamos dar nome aos bois, a classe média apoiou esse golpe que tirou da Presidência uma mulher honesta. A Dilma impediu diversas nomeações, e quanto mais ela fechava o buraco da corrupção, mais ela era barrada por essa classe média”.

Para o deputado Pedro Kemp (PT) também atribuiu à classe média a responsabilidade pelos protestos contra o PT. Ele lembrou das falas do sociólogo Jessé de Souza, que palestrou nesta segunda-feira (16) na Capital.

“Jessé de Souza disse que há um ódio da classe média, da elite econômica, aos pobres”, afirmou. “É uma classe média hipócrita e burra, que não aceita que tenha pobre atuando por políticas públicas para outros pobres”, disse, em referência ao ex-presidente Lula.

Deputado questiona manifestação

O deputado estadual Barbosinha questionou os protestos da bancada do PT. Manifestantes chegaram a vaiar o parlamentar quando ele começou a usar a palavra na tribuna, logo em seguida aos deputados petistas.

“Não entendo a dinâmica desse discurso do PT. O Brasil está em pleno funcionamento, com todos os poderes funcionando”, afirmou o deputado. Segundo o deputado, não há o que se questionar da prisão de Lula, pois ele foi condenado.

“A gente pode e deve questionar em relação ao princípio da inocência presumida, mas não é porque ele vai bem nas pesquisas que ele vai ter imunidade à prática de crime”, completou.

Assista ao vídeo em que Barbosinha ocupa a palavra na tribuna.

Mais notícias