Terra redonda: Após homenagem virar piada, deputados explicam que não conheciam ET Bilu

Parlamentares garantem 'boa-fé' em homenagem a ufólogo para quem o Planeta não seria esférico, mas sim convexo

Os deputados que homenagearam com uma moção de congratulação o empresário Urandir Fernandes de Oliveira, que ficou famoso em 2010 ao mostrar em rede nacional de TV o ‘ET Bilu’, tentaram se justificar durante a sessão na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul desta quarta-feira (3). Os parlamentares receberam uma nota de repúdio do ufólogo Ademar José Gevaerd, editor da Revista Ufo.

Como seria o planeta Terra, segundo Urandir (Foto: Reprodução Dakila Pesquisas)

Para Paulo Siufi (MDB), até mesmo o ET Bilu era desconhecido. “Eu nunca tinha ouvido falar nesse ET Bilu. O que me foi passado era que a instituição dele [Urandir] era de assistência social na cidade de Corguinho. Tinha várias pessoas em plenário para apoiá-lo. Inclusive a esposa de um desembargador pertence à instituição”, disse.

Por fim, o deputado disse que vai verificar com calma a questão sobre a empresa de Urandir e as denúncias que surgiram. “Fui convidado a visitar e vou lá”. Junior Mochi (MDB) presidente da Casa e coautor da homenagem, também revelou que não sabia das denúncias.

“O Siufi pediu meu apoio e eu assinei junto a homenagem. Foi como ele disse também. Eu acreditava ser uma instituição de assistência na cidade”, sentenciou.

Nota de repúdio

Citando a matéria do Jornal Midiamax sobre a homenagem, Gevaerd diz causar ‘estranheza e perplexidade’ que os deputados não tenham ‘se acercado do mínimo necessário de informações sobre o senhor Urandir Fernandes de Oliveira, ou as tenham ignorado, para homenageá-lo de forma tão descabida’.

“Por favor, senhores, uma pessoa acreditar que a Terra é convexa ou plana é de uma ignorância aberrante e aviltante, que nem cabe discutir. E premiar alguém por defender esta falácia ignóbil é algo que não permite entendimento”.

Na nota, o ufólogo pede ainda que os deputados emitam um ‘pedido de desculpas para a população sul-mato-grossense’.

ET Bilu desmascarado e Terra convexa

Oito anos após o episódio do ET Bilu, que virou alvo de controvérsia e foi desmascarado por peritos em rede nacional, Urandir lançou neste ano o Terra Convexa: O Documentário, onde diz ter provas de que a Terra não é redonda, mas sim convexa.

Ele é responsável pela construção da vila ‘Cidade Zigurats’, em Corguinho, a 96 quilômetros de Campo Grande, e recebeu a comenda dos deputados de MS como “reconhecimento pela realização de pesquisas em diversas áreas do conhecimento como matemática, física, física quântica, astronomia, geologia, biologia, geografia e paleontologia”.

Em entrevista ao Jornal Midiamax, Urandir disse que, na verdade, é homenageado por duas descobertas. A primeira, segundo ele, seria de que a Terra é convexa e sobre as medidas do Sol, da Lua e das estrelas. “Não é nada daquilo que aprendemos”, garante.

Urandir é o responsável pela empresa Dakila Pesquisas, e lançou em março deste ano o documentário Terra Convexa: O Documentário. Segundo o ufólogo, foram sete anos de investigações com experimentos realizados pelo centro, junto ao CTZ (Centro Tecnológico Zigurats), contando, ainda, com profissionais de países como os Estados Unidos, Rússia, Chile, Holanda e Espanha. Segundo o grupo, os resultados comprovariam que o planeta não é esférica, ou seja, que a Terra não é redonda.

Urandir após homenagem nesta terça na ALMS (Foto: Luciana Nassar)

“A Terra é plana nas águas e convexa nos continentes. Temos todas as provas e refizemos junto com todos os cientistas do planeta, assim, os mais direcionados nessa área, e a constatação foi a mesma, né. A terra não é redonda. E agora nós descobrimos entre Sol, Lua e as estrelas que tudo não condiz com o que nós aprendemos. O giro, a aurora boreal. A tecnologia de hoje nos permitiu enxergar o que cientistas do passado, não. Não tinha bússola, não tinha GPS, não tinham nada e hoje nós temos, né? Principalmente esses mecanismos de foto de longa exposição. A descoberta é fenomenal. Além da parte médica, em relação ao câncer, descobrimos coisas muito interessantes que vai nos ajudar a salvar vidas”, garantiu Urandir.

A comunidade científica não recebeu bem os ‘estudos’ de Urandir. Em entrevista ao CanalTech após o lançamento do documentário, Salvador Nogueira, autor de 11 livros, e sócio-fundador da Associação Aeroespacial Brasileira, autor do blog Mensageiro Sideral, com um canal homônimo no YouTube – confirma.

“O mais difícil às vezes é parar de rir”, declarou. “Vamos pensar comigo: se as medições que eles fizeram estão corretas, não seria difícil tirar uma foto de um prédio em Natal e um prédio em Porto Alegre; afinal de contas, se a distância é a mesma na base e no topo, como eles dizem, ambos estão no mesmo plano, e não há impedimento entre raios de luz – viajando sempre em linha reta – que partam do topo de um dos prédios e cheguem a outro”.