Após atentado a Bolsonaro, Reinaldo diz que política ‘não é guerra e nem intolerância’

Governador espera que candidato se recupere logo

Foto: Marcos Ermínio

Candidato à reeleição, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (06) que política não é guerra, ao comentar o ataque a faca que sofreu o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) em Minas Gerais.

“Com muita tristeza que recebo a notícia contra o Bolsonaro. Política não é guerra e nem intolerância. O candidato está colocando o nome democraticamente para governar o Brasil. Meu desejo é de que ele se recupere logo e retorne à atividade política. É abominável vermos o que as pessoas que fazem nos dias de hoje, tratando a política com intolerância”.

Para Reinaldo, Bolsonaro tem o direito de defender democraticamente suas ideias.

Facada

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi esfaqueado em evento de campanha em Minas Gerais na tarde desta quinta-feira (6), segundo agências de notícias.

O candidato teria sido esfaqueado na região do tórax enquanto era carregado nos ombros por um apoiador de campanha.

“Não sabe a gravidade ainda ou o que está acontecendo”, disse o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidenciável.

Pouco tempo depois do crime, Flávio Bolsonaro postou no Twitter que o presidenciável passa bem. “Graças a Deus, foi apenas superficial e ele pesa bem. Peço que intensifiquem as orações por nós!”, postou.

O candidato foi encaminhado para a Santa Casa de Juiz de Fora. Segundo a PM, um suspeito foi detido, mas ainda não foi identificado.

Mais notícias