Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

5 anos depois, deputados mantêm veto de Puccinelli a projeto de Marquinhos

Atrações turísticas teriam meia entrada para moradores de MS

Após cinco anos, os deputados estaduais votaram nesta quarta-feira (14) pela manutenção ao veto do então governador André Puccinelli ao projeto de lei do também então deputado estadual Marquinhos Trad, atual prefeito de Campo Grande, que estabelecia meia entrada para moradores locais a atrações turísticas do Estado.

A análise do veto de 2013 foi recebida com estranheza pelo deputado Paulo Siufi (MDB). “Um veto do ex-governador, quem sabe futuro governador, de 2015. É muito estranho”, comentou ao declarar voto pela queda do veto.

O deputado Lídio Lopes (PEN) também usou a declaração de voto para defender o projeto antigo. “Em Bonito, apenas o balneário municipal tem desconto para os moradores da cidade, que tem mais de 38 atrações turísticas catalogadas, mas que muitos que nasceram lá nem conhecem”.

A CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) emitiu parecer rejeitando o veto do ex-governador, mas que foi mantido por oito votos a favor da queda contra nove pela manutenção.

Para derrubar o veto, são necessários ao menos 13 votos favoráveis. Votaram contra o veto de Puccinelli George Takimoto (PDT), Lídio Lopes, Paulo Siufi, Renato Câmara (MDB), João Grandão, Amarildo Cruz, Cabo Almi e Pedro Kemp (PT).

O projeto foi aprovado em junho de 2013 pela Casa. De acordo com o texto, o benefício seria concedido nos meses de maio, junho, setembro e outubro para ingresso no Aquário do Pantanal e em balneários.

O atestado de residência serviria como comprovante para que os moradores do estado consigam a meia-entrada. Um dos artigos do projeto considerava irregular o aumento de preços dos passeios próximo ao período compreendido visando igualar ao preço antigo e os gestores dos passeios poderiam receber benefícios fiscais.

Você pode gostar também