Política

Sefaz apura suposta participação de auditores fiscais em esquema criminoso

Sindicâncias já estão na fase final, segundo a secretaria

Midiamax Publicado em 18/12/2017, às 20h42

None

Sindicâncias já estão na fase final, segundo a secretaria

Estão em fase final duas sindicâncias abertas na Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda) para investigar a suposta participação de auditores fiscais no esquema que causou prejuízo ao fisco de Mato Grosso do Sul no valor de R$ 750 mil.

A informação foi divulgada pelo governo do Estado, por meio de nota oficial. No documento, a gestão estadual reafirma que está apoiando as ações do Ministério Público e adotado práticas de combate à corrupção, além de ações de transparência.

De acordo com o Ministério Público, empresários e contadores participavam de um esquema de propina e interferência na fiscalização tributária estadual para fraudar o erário público.

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) realizou nesta segunda-feira (18) o cumprimento de ordens de busca e apreensão expedidas pelo Juízo da Vara Criminal da Comarca de Paranaíba.

Mandados foram cumpridos em Aparecida do Taboado e Paranaíba, na residência e empresas dos envolvidos, na Secretaria da Fazenda e Agenfa (Agência Fazendária) de Paranaíba e também em Ribeirão Preto (SP), onde os mandados foram cumpridos com o auxílio do Gaeco do Ministério Público do Estado de São Paulo.

Confira a nota oficial na íntegra:

Sefaz apura suposta participação de auditores fiscais em esquema criminoso

Sobre as investigações da primeira fase, a qual dois auditores fiscais foram conduzidos para prestar depoimento, a Sefaz informa que estão em fase de finalização as duas sindicâncias abertas para investigar o caso.

A gestão estadual reafirma o compromisso com a boa gestão da máquina pública e reforça a adoção de todas as ferramentas de fiscalização, combate à corrupção e ações de transparência. Informa ainda que está envidando todos os esforços no sentido de apoiar as ações do MPMS.”

Jornal Midiamax