Publicidade

“Se for candidata terei apenas 12 segundos na televisão”, diz Marina Silva à BBC

Ex-senadora criticou ‘autojulgamento do Congresso’

Em uma longa entrevista publicada nesta quarta-feira (18), a ex-senadora Marina Silva disse à BBC Brasil, em Londres, que “logo, logo” vai divulgar se será candidata à Presidência da República pela terceira vez. Ela lembrou, no entanto, que se estiver na disputa terá “apenas 12 segundos na televisão, contra os muitos minutos dos grandes partidos”.

Ela prevê uma eleição “cheia de candidatos”. Questionada sobre a fama de viver ‘em cima do muro’, ela criticou a polarização no Brasil. “O problema é que o Brasil está tão acostumado com a polarização que quando tem um posicionamento que não está sob o guarda-chuva vermelho ou o azul, as pessoas preferem dizer que não é um posicionamento”.

Marina também defendeu com veemência a operação Lava Jato, disse que o Congresso tem dificuldade em cassar seus integrantes por “corporativismo” e que várias legendas de diferentes espectros políticos se unem para “salvar a própria pele”. “Aqueles que nunca se juntaram para defender saúde, educação, segurança pública, infraestrutura, agora estão unidos para evitar a punição dos crimes que cometeram”, diz, citando o PT, PMDB, PSDB e DEM.

Confira a entrevista na íntegra no site da BBC Brasil: http://www.bbc.com/portuguese/brasil-41661151?ocid=socialflow_twitter

Mais notícias