Política

MPE-MS investiga candidato do PPS por uso indevido de verba pública

O candidato a vice-prefeito do PSDB aparece em outro inquérito

Midiamax Publicado em 31/07/2016, às 18h55

None
athayde.jpg

O candidato a vice-prefeito do PSDB aparece em outro inquérito

O candidato a prefeito de Campo Grande pelo PPS, Athayde Nery, está sendo investigado pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) por possível improbidade administrativa quando estava como secretario de Cultura no Estado, por utilizar verba pública para evento destinado a grupo religioso. Ele se licenciou deste cargo recentemente para poder participar do pleito eleitoral.

De acordo com a publicação do Diário Oficial do órgão, datado para segunda-feira (1º), mas disponível desde essa sexta-feira (29), a 31ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Comarca de Campo Grande/MS torna pública a conversão de Procedimento Preparatório em Inquérito Civil.

A ação é com o intuito de apurar eventual ato de improbidade administrativa praticado pelo Secretário de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação, Athayde Nery de Freitas Júnior, mediante utilização de verbas públicas para a realização de evento destinado a privilegiar grupo religioso. O pedido foi assinado pelo Promotor de justiça Henrique Franco Cândia.

Na mesma data, quem também está sendo investigado é o candidato a vice-prefeito da Capital da chapa tucana, Claudio Mendonça. O procedimento, que torna pública a conversão de Procedimento Preparatório em Inquérito Civil, é requerido pela empresa WSNet Soluções em Informática Ltda. – ME. O objetivo é apurar eventual ato de improbidade administrativa decorrente de supostas irregularidades no procedimento licitatório do Sebrae-MS, referente ao Edital n. 013/2013.

A 49º Promotoria de Justiça de Campo Grande instaurou procedimento em 02 de fevereiro de 2015 para apurar eventuais atos de improbidade administrativa em licitações praticados pelos diretores do Sebrae/MS. O ato foi publicado no diário Oficial do órgão no dia 09 do mesmo mês e assinado pelo Promotor de Justiça Gevair Ferreira Lima Jr.

Neste processo, segundo informações obtidas pela reportagem do Jornal Midiamax, o responsável por esta promotoria o repassou para a 31ª promotoria, pois na 49ª haveria pessoas ligadas a 'alguém' do Sebrae, o que o impediria de tocar o caso.

A 31ª desmembrou o fato em mais outras duas promotorias, a 29ª e 30ª, ambas responsáveis por ações ligadas ao Patrimônio Público, e a investigação foi dividida em 19 processos/assuntos a serem apurados.

Cláudio George Mendonça foi presidente do Conselho Regional de Economia e entre 2000 e 2002 foi assessor econômico da Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul). Em 2003 passou a ser diretor-técnico do Sebrae/MS, e em 2007 tornou-se diretor – superintende da entidade.

Ele é superintendente do órgão desde 2015 e tem mandato até 2018, mas está licenciado da função para concorrer à eleição deste ano.

Mendonça é genro do ex-vice prefeito de Campo Grande, o empresário do setor de transporte público urbano Osvaldo Possari. Ele se licenciou do cargo de superintendente do Sebrae-MS para participar das eleições. Seu nome foi confirmado nesse sábado (30).

Jornal Midiamax