Com terceiro maior índice de rejeição, Alex do PT culpa política nacional

Vereador diz que vai trabalhar por propostas 

O vereador Alex do PT, que é pré-candidato a prefeito pelo partido às eleições de 2016 acredita que seu terceiro lugar em maior índice de rejeição em Campo Grande se deva à política nacional, conturbada com escândalos. A declaração foi dada nesta segunda-feira (11), um dia após o resultado da pesquisa DATAmax, divulgada pelo Jornal Midiamax.

“A questão do debate político que está sendo feito nacionalmente monopoliza a atenção da população e altera o resultado. Apesar disso, não estou envolvido em escândalo nenhum, não tenho participação em qualquer situação que me aponte com desaprovação ao combate a corrupção ou envolvimento em atos ilícitos”.

Para Alex, o período de campanha pode reverter a situação. O vereador esteve nesta segunda na inauguração de um ponto de ônibus ecológico, feito pela Ussiter (Associação dos Usuários do Sistema Integrado de Transporte Urbano e Estadual Rodoviário) apoiado pelo vereador, conforme publicidade em sua página do Facebook.

A pesquisa

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o atual prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) têm a maior rejeição dos eleitores, segundo aponta a pesquisa feita pelo Instituto DATAmax, encomendada pelo Jornal Midiamax, de intenção de voto para prefeito de Campo Grande.

Ambos têm, respectivamente, 31,97% e 28,48% de taxa de rejeição entre os campo-grandenses. Alex do PT aparece em terceiro lugar, com 23,88% de pesquisados afirmando que não votariam nele. Com pouca diferença do terceiro aparece Dagoberto Nogueira (PDT), com 23,51% de rejeição.

Em quinto lugar está o deputado estadual Marquinhos Trad, pré-candidato do PSD, com 15,42%. Em sexto, Pedro Pedrossian Filho(PMB), com 13,06%. A pré-candidata tucana Rose Modesto (PDB) aparece com o mesmo índice de Pedrossian. Em seguida, Marcelo Bluma (PV) 12,44%, Athayde Nery (PPS) 11,94%, Haroldo Figueiró (PTN) com 10,95%, Coronel David (PSC) com 10,57%, Renato Gomes (PRP) com 9,95% e Márcio Fernandes (PMDB) com a menor rejeição, de 8,58%.

Brancos e nulos somam 9,83% das respostas e os eleitores que não souberam ou não opinaram somam 15,42% dos entrevistados.

Ao todo foram entrevistadas 804 pessoas em Campo Grande e a margem de erro aos percentuais é de 3.5 pontos para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%. As sete regiões da cidade foram ouvidas: Anhanduizinho, Bandeira, Centro, Imbirussu, Lagoa, Prosa e Segredo. A amostragem foi feita entre os dias 25 e 30 de junho com registro no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) no dia 27 do mesmo mês. O número de protocolo é MS-03822/2016.

Mais notícias