Política

MPE quer arquivamento de ação movida por Puccinelli contra vereadora

Ele queria explicações sobre depoimento dado ao Gaeco

Jessica Benitez Publicado em 11/12/2015, às 12h40

None
luiza.jpg

Ele queria explicações sobre depoimento dado ao Gaeco

O MPE (Ministério Público Estadual) se manifestou favorável ao arquivamento da ação em que o ex-governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), pede explicações à vereadora Luíza Ribeiro (PPS) devido ao depoimento dado por ela ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) na Operação Coffee Break.

MPE quer arquivamento de ação movida por Puccinelli contra vereadora“Ciente da presente interpelação para explicações em Juízo, bem como da decisão e da petição da Requerida. Ademais, esgotada a providência jurisdicional pleiteada, manifesto-me pelo arquivamento dos autos”, diz a promotora de Justiça Candy Marques Moreira.

A vereadora alegou que o depoimento prestado no dia 25 de setembro é fruto de convocação e tudo seria mantido no sigilo, segundo são regidas as investigações e operações policiais deste sentido. No entanto, o vídeo com as falas vazou e acabou caindo na internet.

“Em assim sendo, a interpelada reserva-se no direito de manifestar que quaisquer esclarecimentos serão prestados dentro dos autos do inquérito do Ministério Público e/ou ainda em eventual ação própria, oportunidade em que poderá exercer em plenitude o contraditório e a ampla defesa. Termos em que, Pede deferimento”, diz nos autos.

No depoimento Luíza cita espécie de mensalinho pago aos vereadores desde a época em que Puccinelli era prefeito, passando pelas gestões de Nelsinho Trad (PTB) e Gilmar Olarte (PP), porém não ressaltou não ter provas. O ato causou furor na Câmara Municipal e acabou resultando em representação na Comissão de Ética da Casa. No Judiciário o ex-governador a interpelou porque foi citado.

O PMDB sul-mato-grossense também entrou na Justiça para interpelá-la. O partido alega que a fala maculou “sobremaneira a imagem da legenda e de seus filiados, ante as sérias acusações da interpelada de que o interpelante e seus correligionários são responsáveis por esquema de corrupção em serviço de tapa-buracos, lixo e cascalhamento, para fins escusos, dentre eles, de perpetuação no poder”.

Jornal Midiamax