De olho nas prefeituras, Zeca quer PT atento aos ‘traidores’ de Delcídio do Amaral

Foi o Delcídio que ajudou a eleger o Moka, em detrimento do Dagoberto

O deputado federal eleito, Zeca do PT, que acompanhar atentamente a distribuição de cargos federais do partido em Mato Grosso do Sul. O futuro deputado não quer privilegiar nenhum dos que se diziam companheiros do PT e traíram o partido na disputa pelo governo do Estado.

O deputado eleito já pensa na eleição de 2016, quando serão escolhidos os novos prefeitos. Zeca lista inúmeros traidores de (PT), que ele acredita ter agido de boa fé, mas que acabou sendo traído na eleição para o governo, onde perdeu para o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB).

A lista de traidores elencadas por Zeca tem os prefeitos de Dourados, Murilo Zauith (PSB), e de Nova Andradina, Roberto Hashioka (PSDB), além do ex-prefeito de Ponta Porã, Flávio Kayatt, que acabaram apoiando o tucano.

Além dos prefeitos, o vereador cita como traidores a senadora eleita, Simone Tebet (PMDB), e o marido dela, deputado Eduardo Rocha (PMDB), e o senador Waldemir Moka (PMDB), que ele diz ter sido levado ao Senado graças ao apoio de Delcídio.

“Foi o Delcídio que ajudou a eleger o Moka, em detrimento do Dagoberto (deputado federal eleito, Dagoberto Nogueira-PDT), que tinha totais condições de ser eleito. No final, todos traíram o Delcídio”, avaliou.

Zeca é uma das lideranças do PT em Mato Grosso do Sul e o arranjo para as próximas eleições tem ligação direta com ele, que sempre é cotado para cargos majoritários dentro do partido. Ele pretendia disputar o cargo de senador na próxima eleição, mas como Delcídio perdeu, a briga deve ser boa entre os dois para saber quem disputa o Senado, onde duas vagas estarão em jogo, o que torna o desafio mais fácil, e quem enfrenta Azambuja, que deve brigar pela reeleição.

 

De olho nas prefeituras, Zeca quer PT atento aos 'traidores' de Delcídio do Amaral
Mais notícias