Polícia / Trânsito

Moto estava no ponto cego do motorista de ônibus, diz delegado sobre acidente com morte

Motociclista foi arrastado por cerca de 15 metros

Thatiana Melo e Dayene Paz Publicado em 08/04/2021, às 09h26

None
(Henrique Arakaki, Midiamax)

O acidente na manhã desta quinta-feira (8), em Campo Grande na rua 26 de Agosto esquina com a rua Anhandui, que acabou na morte de um auxiliar de jardinagem de 32 anos, teria acontecido pelo fato do motorista não ter visto a vítima, que estava no ‘ponto cego’ do condutor do ônibus, segundo o delegado Guilherme Rocha.

De acordo com o delegado que foi até o local, quando o motorista do ônibus foi fazer a conversão a direita na rua Anhandui, o motociclista teria entrado no ‘ponto cego’ sendo atropelado e arrastado por cerca de 15 metros. A motocicleta acabou ficando na esquina e a vítima acabou embaixo da roda do ônibus.

O motorista disse ao Jornal Midiamax, que não viu o motociclista e que só ouviu um barulho e ao perceber a pancada parou imediatamente vendo a motocicleta na esquina, “a gente nunca imagina passar por isso”, disse emocionado. Colegas de trabalho do motociclista foram até o local do acidente e emocionados falaram que a vítima trabalhava a 10 anos na empresa, “éramos uma família”, disseram.

O acidente aconteceu quando a vítima estava indo para o trabalho e tanto o motorista do ônibus como o motociclista estavam trafegando na rua 26 de Agosto, sendo que o ônibus estava na pista do meio e a motocicleta na outra faixa a direita do veículo. Uma testemunha que presenciou o acidente disse que o atropelamento aconteceu quando o ônibus fez uma manobra.

Segundo esta testemunha, o ônibus fez a manobra a direita para virar na rua Anhandui e não teria visto o motociclista o arrastando por cerca de 15 metros. A moto acabou na esquina dos cruzamentos das ruas e a vítima embaixo de uma das rodas do ônibus. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamado, mas o homem já estava morto.

Jornal Midiamax