Operação após sumiço de cocaína prende mais um em MS

Delegado foi preso durante investigações

Sétima fase da operação da Polícia Civil, após sumiço de 100 quilos de cocaína da delegacia de Aquidauana, cidade distante 143 quilômetros de Campo Grande, prendeu mais um homem, nesta quinta-feira (1º). Ao todo, 16 pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no crime. Na sétima fase a polícia também cumpriu três mandados de busca e apreensão.

A Polícia Civil informou que prossegue com as investigações sobre o caso que levou até a prisão do delegado de polícia Eder de Oliveira Moraes. Após o sumiço da droga, ocorrido no último dia 11 de junho, também foi descoberta a participação do delegado em outros crimes cometidos enquanto era titular em Aquidauana.

Balcão de Negócios

Nesta quinta-feira (1º) o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) informou que ofereceu denúncia contra 15 investigados no crime, que integravam organização criminosa que atuou na polícia da região de Aquidauana. Em nota, o MPMS informou que as investigações feitas por meio de solicitação da 3ª Promotoria de Justiça de Aquidauana com foco na atuação do delegado Eder possibilitaram o oferecimento das denúncias. Ele e os investigadores acusados de participação nos crimes foram afastados da polícia.

Eder é acusado de corrupção e concussão. Segundo o MPMS, ele utilizava a 1ª Delegacia de Polícia de Aquidauana como balcão de negócios, por isso o nome da operação, onde obtinha ‘vantagens econômicas indevidas’. O esquema era feito por meio de pressão do advogado que intimidava presos em flagrante para contratarem advogados específicos, e depois recebia contrapartida pelos honorários.

Conforme as investigações, essa conduta foi verificada em pelo menos 14 casos. Tornaram-se réus também advogados envolvidos no esquema e empresário do município.

Mais notícias