‘Droga e arma’: alunos que viram colega morto com tiro na cabeça relatam rotina de violência

Suspeito foi preso e teria desavenças com a vítima

Alunos da Escola Municipal Luiz de Albuquerque de Melo Pereira Cáceres, localizada no distrito de Albuquerque, área rural de Corumbá, cidade que fica distante 444 quilômetros de Campo Grande, relatam a sensação de insegurança que vivem na unidade escolar, onde um aluno de 19 anos foi morto com um tiro na cabeça, na noite desta quarta-feira (7).

Os relatos de estudantes contradizem a informação da Secretaria Municipal de Educação de Corumbá, que emitiu nota dizendo há policiamento escolar constante na unidade. “Ele ficou agonizando por 30 minutos até a Polícia Militar chegar e constatar que ele foi atingido, só depois chamaram o Samu”, relata um amigo que terá a identificação preservada pela reportagem.

A falta de segurança e iluminação na escola, que fica 50 quilômetros de Corumbá, também preocupam. “A janela da sala era para o lado mais escuro, tinha um guarda lá, mas ninguém fez nada na hora que ele foi atingido”, conta.

A história é a mesma contada por diversos alunos da unidade: “fomos esquecidos’’. Os alunos contam que há revistas esporádicas antes de entrar na unidade escolar. “De dez em quanto eles fazem revista. Já encontraram droga na escola e também no ônibus que leva os alunos, além de arma”, revela a aluna.

O estudo vem aliado ao medo. “Tem umas senhoras mais velhas que estudam lá que nem saem da sala, com medo, porque eles usam droga na hora do intervalo”, revela. “Mas não adianta chamar a polícia, a viatura não vem ou se vai, dá uma volta e vai embora”.

A Secretaria Municipal de Educação emitiu nota onde declara que o assassinato ocorrido em sala de aula seria “um reflexo dos problemas sociais existentes na região”. Além disso, ressaltou que o policiamento escolar é frequente na unidade.

“A limpeza no pátio interno e no entorno da escola, onde é de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Corumbá, é feita periodicamente pela Secretaria Municipal de Infraestrutura. A direção da escola mantém contatos permanentes com os órgãos de Segurança Pública para solicitar rondas no perímetro da escola e garantir a proteção dos alunos. A Prefeitura mantém a segurança no interior do colégio. No momento do ocorrido, um guarda municipal se encontrava no educandário”.

Prisão de suspeito

A Polícia Militar prendeu na tarde desta quinta-feira (8), no distrito de Albuquerque, o suspeito de matar o estudante Carlos Daniel Maldonado Pires, 19 anos, com tiro na cabeça dentro da sala de aula. A motivação estaria ligada a desavenças pessoais com a vítima.

Mais notícias