Polícia

Usando guincho, ladrões furtam Kombi que era o ganhão-pão de vendedor de frutas

Kombi que era usada como uma frutaria ambulante foi furtada durante a noite desta segunda-feira (29), na região do Aero Rancho, em Campo Grande. O veículo pertence ao comerciante Danilo Martins da Costa, de 30 anos, que já procurou a Polícia Civil e registrou boletim de ocorrência junto à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) […]

Renan Nucci Publicado em 30/03/2021, às 18h47 - Atualizado em 31/03/2021, às 10h30

Como Kombi não tem motor, ladrão furtou veículo usando guincho. Foto: Divulgação
Como Kombi não tem motor, ladrão furtou veículo usando guincho. Foto: Divulgação - Como Kombi não tem motor, ladrão furtou veículo usando guincho. Foto: Divulgação

Usando guincho, ladrões furtam Kombi que era o ganhão-pão de vendedor de frutasKombi que era usada como uma frutaria ambulante foi furtada durante a noite desta segunda-feira (29), na região do Aero Rancho, em Campo Grande. O veículo pertence ao comerciante Danilo Martins da Costa, de 30 anos, que já procurou a Polícia Civil e registrou boletim de ocorrência junto à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Cepol.

Danilo disse ao Midiamax que o veículo sequer tem motor e serve mesmo como ponto de venda de frutas e verduras. Apesar de não ter valor de mercado, tem valor sentimental, pois é instrumento de trabalho e está na família há mais de 20 anos, passando por três gerações. “É uma Kombi ano 1994, que era do pai do meu tio, passou para o meu tio e agora estava comigo”, explicou.

Por anos, o tio dele usou o veículo para vendas no cruzamento da Rua Pedro Celestino com a Fernando Corrêa da Costa, na região central da cidade. No entanto, há aproximadamente quatro anos Danilo vinha vendendo as mercadorias na Rua da Divisão, quase esquina com a Rua Santa Quitéria. “A gente já era bastante conhecido. Estávamos ali quase todo dia”, pontuou.

O rapaz contou que o furto ocorreu por volta das 20 horas de segunda. Informações são de que um guincho chegou ao local, engatou na Kombi e a tirou do local. Deste modo, o ganha-pão do comerciante foi prejudicado. “É o que a gente tem para trabalhar”. O prejuízo só não foi maior porque a Kombi estava vazia. “Não tinha nada. Segunda-feira é nosso dia de folga e acho que até sabiam disso”, lamentou.

A Polícia Civil investiga o caso.

Jornal Midiamax