Polícia

Traficante que usava viagem de fiéis para traficar cocaína em ônibus se entrega à PF

Na manhã desta terça-feira (9), foi preso José Pereira Barreto, investigado por esquema de tráfico de cocaína de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, até o interior de São Paulo. O empresário se entregou à Polícia Federal em Dourados, após ficar mais de um mês foragido. Conforme a Polícia Federal, José se apresentou na […]

Renata Portela Publicado em 09/03/2021, às 14h31 - Atualizado às 18h12

Droga apreendida pela PRF e PF (Divulgação)
Droga apreendida pela PRF e PF (Divulgação) - Droga apreendida pela PRF e PF (Divulgação)

Na manhã desta terça-feira (9), foi preso José Pereira Barreto, investigado por esquema de tráfico de cocaína de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, até o interior de São Paulo. O empresário se entregou à Polícia Federal em Dourados, após ficar mais de um mês foragido.

Conforme a Polícia Federal, José se apresentou na Delegacia de Polícia Federal de Dourados para cumprimento do mandado de prisão. Ele era alvo da Operação Viagem Santa, deflagrada em 21 de janeiro para desarticular o esquema de tráfico de drogas comandado pelo empresário.

José chegou a ser investigado por homicídios e se prevalecia de pessoas que faziam viagens de caráter religioso para consolidar a logística do envio de cocaína. A PRF (Polícia Rodoviária Federal) da região de Dourados descobriu que o empresário que fretava ônibus para levar fiéis de Mato Grosso do Sul ao santuário em Aparecida do Norte (SP), estaria ligado ao tráfico.

A equipe chegou a apreender 576 quilos da droga em dezembro de 2018. O trabalho de inteligência então foi encaminhado à PF, que deu continuidade nas investigações. Em fevereiro de 2019, o empresário investigado foi alvo de tentativa de homicídio. Ele seguia de caminhonete pela Rua Cuiabá, em Dourados, quando pistoleiros iniciaram o ataque, mas sem sucesso.

A polícia ainda descobriu que o crime havia sido arquitetado pela própria esposa, que foi presa e condenada a mais de 10 anos. Naquela oportunidade, foram encontrados na casa do casal uma pistola 9 milímetros e R$ 500 mil sem origem definida. O empresário chegou a ser investigado por suspeita de envolvimento na execução de dois proprietários de vans, que seriam em tese concorrentes.

No entanto, as investigações não encontraram provas o suficiente. Na operação em janeiro, apesar dos esforços de PF e Receita Federal, José não foi localizado.

Operação Viagem Santa

A Polícia Federal com o apoio da Receita Federal deflagrou a Operação Viagem Santa, para desarticular uma organização criminosa voltada ao tráfico interestadual de drogas e lavagem de dinheiro. Aproximadamente 86 policiais federais e servidores da Receita Federal foram às ruas para cumprimento de 10 mandados de prisão temporária (30 dias) e 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Dourados, e Deodápolis.

Também foi feito sequestro e bloqueio de mais de R$ 10 milhões em bens e 12 ônibus avaliados em mais de R$ 11 milhões de reais. A organização criminosa era dividida em três núcleos: um era responsável pela logística de carregamento e transporte da droga; outro pelo agenciamento das viagens e pelo recrutamento dos passageiros e o outro pela lavagem de dinheiro. Todas as empresas envolvidas são sediadas na cidade de Dourados.

Jornal Midiamax