Polícia

Sobrinho teria forjado cena de execução em camionete após matar idoso de 61 anos

Ele teria levado a vítima até o local já debilitada e atirado

Renata Portela Publicado em 03/04/2021, às 11h31

Vítima estava dentro da camionete
Vítima estava dentro da camionete - (Foto: Dourados News)

Preso em flagrante pelo homicídio de Veríssimo Coelho dos Santos, de 61 anos, sobrinho de 28 anos não colaborou com as investigações e negou qualquer participação, mas teria forjado o crime. O caso foi descoberto na quinta-feira (1º), quando a vítima foi encontrada morta a tiros de pistola em Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande.

Após Veríssimo ser encontrado morto dentro da Silverado branca, no banco do passageiro, a Polícia Civil começou as investigações e identificou que a última pessoa a estar com o idoso era o sobrinho. Além disso, imagens de câmeras de segurança mostravam que a camionete teria chegado ao local onde foi encontrada por volta das 10 horas do dia anterior, quarta-feira (31).

Após a camionete parar na estrada, na região da Sitioca Campina Verde, é possível ver a série de tiros. No entanto, nenhum veículo teria passado no local para buscar o autor, indicando que ele poderia ser morador na região. O sobrinho de Veríssimo vivia a apenas alguns metros do local do crime.

Pelas investigações, foi apurado que o rapaz de 28 anos teria tido uma briga com o tio na chácara, após um churrasco que fizeram, e o lesionou na cabeça, possivelmente com objeto perfuro-cortante. Depois, forjou o local do crime, levando a vítima já debilitada até a Silverado e a colocando no banco do passageiro.

Depois, teria dirigido a camionete até o local onde o corpo foi encontrado e atirou várias vezes contra a vítima, tentando simular o crime. Foram apreendidas 17 cápsulas de pistola no local, sendo 16 percutidas. Mesmo preso, o rapaz negou qualquer participação no crime e tentou indicar que outra pessoa teria assassinado o tio.

Foi feito pedido de conversão da prisão, acatado pelo juiz em audiência de custódia. Assim, o sobrinho de Veríssimo fica preso preventivamente enquanto o caso segue em investigação. A princípio, ele e o tio tiveram um acordo comercial recente em que veículos do idoso foram passados para o nome do autor.

Jornal Midiamax