Polícia

Por ciúmes, mulher é agredida pelo ex, que quebra casa e promete arrumar arma para matá-la

Ameaçada de morte, uma mulher de 39 anos segue praticamente escondida na casa de familiares e amigos em Campo Grande. A vítima foi agredida pelo ex-companheiro, que ficou com ciúmes por desconfiar de traição. Depois, passou a ser perseguida pelo homem, que afirmou ter uma arma. O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de […]

Dayene Paz Publicado em 30/03/2021, às 12h34 - Atualizado às 12h39

Delegada Jennifer Estevam (Henrique Arakaki, Midiamax)
Delegada Jennifer Estevam (Henrique Arakaki, Midiamax) - Delegada Jennifer Estevam (Henrique Arakaki, Midiamax)

Ameaçada de morte, uma mulher de 39 anos segue praticamente escondida na casa de familiares e amigos em Campo Grande. A vítima foi agredida pelo ex-companheiro, que ficou com ciúmes por desconfiar de traição. Depois, passou a ser perseguida pelo homem, que afirmou ter uma arma. O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, a mulher procurou a delegacia no dia 22 de março, afirmando que o crime ocorreu no dia anterior, 21. Ela contou que o casal estava na casa de um conhecido, quando em determinado momento o homem a questionou sobre uma mensagem no celular. “Era comum ele mexer no celular dela porque era ciumento”, explicou a delegada Jennifer Estevam, da Deam.

Após o questionamento, o homem teria jogado o celular da mulher no chão, em seguida jogou uma mochila no rosto dela. O homem não teria cessado e então agrediu a mulher com vários socos na cabeça, fato presenciado pela amiga da vítima.

Após registro da ocorrência, a polícia pediu medida protetiva que foi deferida pela Justiça. A Guarda chegou a acompanhar a vítima até em casa após esse deferimento, procedimento comum nesses casos. No entanto, a mulher não consegue voltar para casa, pois o autor a ameaçou dizendo que tem uma arma, também envia áudios com ameaças de morte.

A vítima afirma nunca ter visto arma com ele, mas teme pois o homem tem “amizades” no presídio e teria passagens criminais, como tentativa de homicídio e tráfico de drogas. Então, segundo ela, seria fácil para ele adquirir uma arma de fogo.

Jornal Midiamax