Polícia

Polícia vai analisar celulares dos dois homens assassinados dentro de caminhonete

A Polícia Civil vai pedir acesso aos celulares dos dois homens assassinados na noite desta sexta-feira (12), dentro de uma caminhonete em uma propriedade rural que fica a cerca de três quilômetros da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), na rodovia MS-010, na saída de Campo Grande para Rochedinho. O objetivo é conseguir registros de mensagens […]

Renan Nucci Publicado em 13/03/2021, às 08h13 - Atualizado em 14/03/2021, às 10h14

Caminhonete encontrada em frente de propriedade rural em Campo Grande. Foto: Divulgação
Caminhonete encontrada em frente de propriedade rural em Campo Grande. Foto: Divulgação - Caminhonete encontrada em frente de propriedade rural em Campo Grande. Foto: Divulgação

A Polícia Civil vai pedir acesso aos celulares dos dois homens assassinados na noite desta sexta-feira (12), dentro de uma caminhonete em uma propriedade rural que fica a cerca de três quilômetros da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), na rodovia MS-010, na saída de Campo Grande para Rochedinho.

O objetivo é conseguir registros de mensagens e outras informações que possam levar aos autores. “Vamos ter que analisar o celular deles. Possivelmente eles foram ao local para encontrar alguém, quando houve os disparos”, disse o delegado plantonista Leandro Costa Azevedo ao Midiamax na manhã deste sábado (13).

As vítimas tinham 54 e 32 anos. Uma delas foi atingida na cabeça e a outra na região do torso. Ainda conforme o delegado, testemunhas relataram aproximadamente seis disparos. Inicialmente foram dois, seguidos de uma breve pausa, e na sequência ocorreram outros quatro. A suspeita é de que seja apenas um autor.

Conforme já noticiado, o local onde o crime ocorreu é afastado e pouco movimentado. O dono da propriedade e a esposa encontraram o veículo ligado, na frente da porteira. Ao observarem, constataram as duas vítimas mortas dentro do veículo. O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado, mas apenas pôde constatar o óbito.

O caso inicial foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro, mas será distribuído para a delegacia de área.

Jornal Midiamax