Polícia

Polícia ouve familiares de homem acusado de 'cravar' faca em amigo no Noroeste

Acusado ainda não foi localizado e polícia continua buscas

Dayene Paz Publicado em 05/04/2021, às 11h11 - Atualizado às 12h12

Hudson foi encontrado morto em banheiro de kinet
Hudson foi encontrado morto em banheiro de kinet - Henrique Arakaki

A Polícia Civil começa a ouvir esta semana os familiares do homem acusado de matar o vizinho, Hudson Thiago de Souza, de 28 anos, na noite do último dia 28 de março, no Jardim Noroeste, em Campo Grande. O suspeito fugiu com a esposa e ainda não foi localizado. O delegado Ricardo Meirelles, que está à frente do caso, afirmou que não descarta um pedido de prisão, no entanto, continua com as buscas ao casal.

O crime aconteceu na noite de domingo (28) em uma vila de casasno Jardim Noroeste. O corpo só localizado um dia depois por um amigo que invadiu a casa pela janela encontrando Hudson no banheiro com uma faca cravada no peito. A vítima foi assassinada com três facadas no peito e outras no pescoço.

Meirelles explicou que o suspeito era franzino, mais baixo e não teria como ter cometido o assassinato sozinho já que Hudson era “alto e robusto”. Por isso, acredita-se que a esposa do suspeito tenha ajudado no crime, como ajudou na ocultação apo fugir junto do homem após o assassinato.

Ainda de acordo com o delegado, Hudson teria sido pego de surpresa dentro do banheiro quando estava sentado e assassinado com três facadas no tórax e várias lesões no pescoço. Meirelles ainda disse a princípio a morte mão teria sido por causa de drogas, mas nada é descartado. No banheiro foi encontrado um prato com resquícios de cocaína, mas o delegado afirmou que a vítima era usuária de maconha e o suspeito de cocaína.

Duas pessoas que estavam no dia do crime na companhia de Hudson, o dono da casa e sua esposa já foram ouvidos na delegacia, mas os detalhes do depoimento não foram revelados. Não é descartado ser feito o pedido de prisão para o casal, caso não se apresentem na delegacia.

Fuga

O suspeito pelo crime dono da casa onde o corpo foi encontrado fugiu junto da esposa em um veículo Fiat Pálio, de cor cinza. O dono das quitinetes alugadas para Hudson e para o suspeito contou para o Jornal Midiamax que havia muito sangue na casa.

Ainda segundo o homem, Hudson era amigo do suspeito e os filhos de ambos brincavam juntos. Hudson alugava a casa onde morava há 7 meses e o suspeito estava morando no local há 3 meses.

Segundo informações, no dia do desparecimento de Hudson, a vítima e o suspeito estavam fazendo um churrasco e bebendo juntos, quando não se sabe o que aconteceu depois. O filho de Hudson chegou a ir até a casa do pai para saber de notícias suas quando encontrou o chinelo do pai na varanda da casa do suspeito.

A perícia que foi até o local encontrou o banheiro, um prato com resquícios de cocaína, além de um cartão bancário no peito da vítima e um cabo de faca quebrado na pia.

Jornal Midiamax