Polícia

Polícia instaura inquérito para apurar causa de acidente que vitimou Emanuelle

Nesta sexta-feira (12) foi instaurado o inquérito policial para apurar as causas do acidente que vitimou Emanuelle Aleixo Gorski, 20 anos. A jovem foi atropelada por uma camionete enquanto andava de bicicleta, na rotatória próxima ao cruzamento das avenidas Mato Grosso e Hiroshima na noite de quarta-feira (10). Segundo o delegado Wilton Vilas Boas, da […]

Renata Portela Publicado em 12/03/2021, às 17h11 - Atualizado em 13/03/2021, às 11h29

Câmeras registraram momentos antes do acidente | Reprodução
Câmeras registraram momentos antes do acidente | Reprodução - Câmeras registraram momentos antes do acidente | Reprodução

Nesta sexta-feira (12) foi instaurado o inquérito policial para apurar as causas do acidente que vitimou Emanuelle Aleixo Gorski, 20 anos. A jovem foi atropelada por uma camionete enquanto andava de bicicleta, na rotatória próxima ao cruzamento das avenidas Mato Grosso e Hiroshima na noite de quarta-feira (10).

Segundo o delegado Wilton Vilas Boas, da 3ª Delegacia de Polícia Civil, responsável pelas investigações, foi instaurado inquérito e também requerido à Polícia Militar o boletim de ocorrência do Trânsito. Só a partir da semana que vem as testemunhas do caso devem ser ouvidas na delegacia.

Conforme o delegado, são dois funcionários do posto de combustíveisque fica nas proximidades e presenciaram o acidente, além da amiga de Emanuelle que estava no local no momento do atropelamento. Outras eventuais testemunhas também podem ser intimadas para prestarem depoimento.

O condutor da S10 deve ser o último a ser ouvido. Após as oitivas das testemunhas e também com o laudo do veículo e do local da ocorrência, além das imagens das câmeras de segurança, a polícia fará a juntada dessas provas e encaminhará para que seja feita uma perícia indireta no Instituto de Criminalística.

“Todo acidente acontece porque alguém não respeitou as regras de trânsito”, esclareceu o delegado. Ainda conforme Wilton Vilas Boas, é apurado se a culpa foi do motorista, da vítima ou até mesmo dos dois. Ao fim do inquérito, o condutor da S10 pode chegar a responder por homicídio culposo, aquele em que não há intenção, na direção de veículo automotor.

Entenda o caso

Polícia instaura inquérito para apurar causa de acidente que vitimou Emanuelle
Emanuelle foi vítima de atropelamento (Reprodução, Instagram)

Conforme o registro do BPTran (Batalhão da Polícia Militar de Trânsito), o fator preponderante da colisão entre a bicicleta em que a jovem estava e a caminhonete S10 seria “falta de atenção”. Contudo, não é especificado no registro de qual das partes envolvidas. O teste do bafômetro, feito pelo motorista do local, deu resultado negativo.

Apesar disso, o registro do acidente foi feito pelo pai da vítima, junto a um tio, na madrugada do acidente na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, após a jovem ter morrido na Santa Casa da Capital, e ainda não estava presente o comparecimento da Polícia de Trânsito.

O documento do BPMTran também afirma que não há restrição de visibilidade no momento da colisão, que foi caracterizada como transversal. A caminhonete teria ficado com danos materiais na parte dos faróis e a bicicleta com danos na lateral direita, esquerda, traseira, frontal e banco.

Emanuelle foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e Corpo de Bombeiros e encaminhada para a Santa Casa. Em estado gravíssimo, ela foi sedada e intubada, mas não resistiu e morreu após ter uma parada cardiorrespiratória.

A camionete S10 foi deixada na delegacia pelo filho do motorista ainda na quinta-feira.

Jornal Midiamax