Polícia

PM encerra festa com aglomeração no Tarumã e dona termina algemada

Uma casa do bairro Jardim Tarumã foi alvo de denúncia de vizinhos após aglomeração com jovens, gritaria e som alto na madrugada deste sábado (27) em Campo Grande. Além de desrespeitar o toque de recolher, a festa ainda perturbava o sossego da vizinhança. A dona da casa se recusou a atender os pedidos dos policiais […]

Mylena Rocha Publicado em 27/02/2021, às 07h43 - Atualizado às 11h44

(Foto: Ilustrativa)
(Foto: Ilustrativa) - (Foto: Ilustrativa)

Uma casa do bairro Jardim Tarumã foi alvo de denúncia de vizinhos após aglomeração com jovens, gritaria e som alto na madrugada deste sábado (27) em Campo Grande. Além de desrespeitar o toque de recolher, a festa ainda perturbava o sossego da vizinhança. A dona da casa se recusou a atender os pedidos dos policiais e terminou a noite algemada

Segundo ocorrência, policiais foram acionados pela vizinhança e quando chegaram ao local, viram que havia um grande número de pessoas participando da festa com som alto e gritaria. Com muita insistência, um dos participantes da festa saiu para fora da residência para atender a equipe policial, em seguida, ele chamou a dona da casa, uma mulher de 41 anos.

A dona da residência disse que sua filha menor de idade estava reunida com amigos e que não fazia nada de errado. Porém, policiais explicaram sobre o toque de recolher, que começa às 23h, sendo que já era cerca de uma hora da madrugada. A mulher ficou muito nervosa e teria feito um escândalo com os PMs, disse que não acabaria com a festa e fechou o portão. 

Neste momento, ela foi informada de que seria conduzida à delegacia. Foi solicitado apoio de outra viatura e, enquanto isso, os jovens começaram a dispersar do local, permanecendo somente a família que mora na casa. A vizinha, que fez a denúncia, disse que há aglomeração de jovens constantemente na residência e não é a primeira vez que a polícia faz uma visita. Policiais já haviam comparecido à casa no mesmo dia, às 19h. 

A dona da casa resistiu na condução à delegacia e teve que ser algemada. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Cepol.

Jornal Midiamax