Polícia

Pedreiro foge pulando muro depois de forçar beijo em menina de 9 anos no São Conrado

Um pedreiro de 65 anos é acusado de agarrar uma menina de 9 anos e forçar um beijo na manhã da última quinta-feira (30), no Jardim São Conrado, em Campo Grande. A Polícia Militar chegou a ser acionada, mas o homem fugiu pulando o muro da casa. Com medo, a família pede a prisão do […]

Dayene Paz Publicado em 30/01/2021, às 09h58 - Atualizado às 10h01

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

Um pedreiro de 65 anos é acusado de agarrar uma menina de 9 anos e forçar um beijo na manhã da última quinta-feira (30), no Jardim São Conrado, em Campo Grande. A Polícia Militar chegou a ser acionada, mas o homem fugiu pulando o muro da casa. Com medo, a família pede a prisão do suspeito, que teria confessado o crime. O caso está sendo investigado pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente). Ele fugiu pulando os muros.

De acordo com as informações apuradas pela reportagem do Jornal Midiamax, a mãe da criança contou que a casa da irmã está passando por reforma. A obra é tocada pelo homem de 65 anos, que é conhecido na região, tendo inclusive, feito outros serviços para a família. Então, por volta das 9h30 da última quinta (28), teria pedido para que a filha de 9 anos fosse até a obra para buscar um carregador de celular que havia esquecido.

A menina foi até o local e ao retornar, a mãe notou que estava chorando, apresentando um comportamento estranho, então a questionou. A criança relatou que o pedreiro a teria puxado pela cintura e forçado um beijo. Desesperada, a mãe foi até o local com outros familiares e o pedreiro teria confessado o crime, pedindo desculpas e afirmando que não sabia o que tinha feito.

Na confusão, o pedreiro saiu do local, foi até sua casa, que fica na mesma rua da família, e começou a se preparar com alguns pertences para sair com o carro. Ao notar que havia muita movimentação dos familiares da menina, desistiu de sair com o carro, foi até os fundos da residência e fugiu pulando o muro com ajuda de uma escada.

A Polícia Militar foi acionada, fez rondas na região, mas não o localizou. A família relata que a menina não consegue dormir e, como o suspeito não foi preso, tem medo de que ele possa fazer algo. O caso é apurado pela Depca.

Jornal Midiamax