Polícia

Pastor acusado de estuprar menina de 7 anos se aproveitava quando criança ia brincar com filha

Após estuprar uma criança de 7 anos, um pastor de uma igreja localizada no bairro Monte Alegre em Campo Grande tentou a absolvição alegando falta de provas, o que foi negado pela Justiça, nesta segunda-feira (29). A decisão foi publicada em Diário da Justiça. A defesa pediu pela desclassificação do crime para importunação sexual, mas […]

Thatiana Melo Publicado em 29/03/2021, às 11h58 - Atualizado em 30/03/2021, às 08h30

(Ilustrativa)
(Ilustrativa) - (Ilustrativa)

Após estuprar uma criança de 7 anos, um pastor de uma igreja localizada no bairro Monte Alegre em Campo Grande tentou a absolvição alegando falta de provas, o que foi negado pela Justiça, nesta segunda-feira (29). A decisão foi publicada em Diário da Justiça.

A defesa pediu pela desclassificação do crime para importunação sexual, mas o pedido foi negado pela maioria dos magistrados da 7º Vara Criminal de Campo Grande, e negando ainda a absolvição do pastor, que foi condenado a 9 anos e 4 meses de reclusão.

Segundo a denúncia, no período entre janeiro a dezembro de 2016, na residência no bairro Jardim Monte Alegre, o denunciado estuprou a criança que frequentava a residência para brincar com a filha do pastor. A irmã da vítima, frequentava a igreja, e em ocasiões que ia ao recinto para atividades de jovens, ela a acompanhava, e por vezes enquanto estava na igreja, deixava a vítima na residência do casal de pastores para que brincasse com as filhas do casal.

Apurou-se ainda, que o denunciado se aproveitava dos momentos que a vítima estava em sua residência, para abusar sexualmente da criança, passando a mão e apertando suas nádegas, beijando seus lábios, e ainda praticando mantendo conjunção carnal com a menina.

Jornal Midiamax