Polícia

Passageira diz ter sido agredida por motorista de aplicativo ao pedir que ela arrumasse máscara

Ele teria a feito descer do carro e seguido até sua residência

Danielle Errobidarte Publicado em 02/04/2021, às 12h49

Vítima registrou boletim de ocorrência na Deam.
Vítima registrou boletim de ocorrência na Deam. - (Foto: Henrique Arakaki / Arquivo Midiamax)

Durante uma corrida de aplicativo uma passageira, de 31 anos, teria sido agredida pelo motorista na tarde desta quinta-feira (1). O motivo seria que a garota ajustou a máscara que usava e o motorista teria ficado bravo com o uso incorreto do equipamento de segurança, a fazendo descer do veículo e lhe agredindo com socos e chutes.

A vítima disse que uma amiga, que estava viajando, pediu para que ela fizesse o socorro de um gato até uma clínica veterinária, uma vez que a mulher é protetora de animais. Ela, então, teria pegado a caixa de transporte e saído com a máscara em mãos.

Ao chegar no carro, o motorista a alertou para colocar o equipamento. “Eu pedi desculpas por não ter percebido e respondi que estava colocando, que eu estava arrumando o brinco. Caiu por um segundo do meu nariz”, afirma.

Ainda segundo ela, o motorista teria expulsado a menina do carro. “Saí do carro com a bolsa de um lado, a caixa de transporte nas mãos, fiquei de costas, e ele disse que tinha batido a porta “com tudo”. Ele veio atrás de mim quando fui em direção à minha casa e me xingou”.

Conforme o registro policial, o motorista teria agredido a garota com socos e chutes, momento em que ela se defendeu com a caixa de transporte e as mãos. Ela relatou dores nos braços e pernas.

Ainda segundo a vítima, os vizinhos teriam presenciado as agressões, mas ela somente recebeu auxílio de um motociclista que passava pela rua e decidiu estacionar ao ver a confusão. “Os vizinhos ficaram só olhando, mesmo eu pedindo ajuda. Logo que ele [o motorista] viu o motoqueiro, ele correu para dentro do carro. Às vezes ele estava tendo um dia ruim, mas nada justifica”, relata.

A mulher registrou um boletim de ocorrência na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) como injúria e vias de fato.

Jornal Midiamax