Polícia

Para impedir avanço do PCC em Santa Catarina, operação prendeu faccionados em MS

Operação Maserati, deflagrada pelas forças policiais de Santa Catarina nesta quinta-feira (25) para impedir o avanço do PCC (Primeiro Comando da Capital) naquele estado, cumpriu prisões em Mato Grosso do Sul. Foram presos faccionados em Campo Grande e também em Aparecida do Taboado. Ao todo foram expedidos 142 mandados de prisão e 142 de busca […]

Renata Portela Publicado em 25/02/2021, às 15h59 - Atualizado em 26/02/2021, às 08h49

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Imagem ilustrativa

Operação Maserati, deflagrada pelas forças policiais de Santa Catarina nesta quinta-feira (25) para impedir o avanço do PCC (Primeiro Comando da Capital) naquele estado, cumpriu prisões em Mato Grosso do Sul. Foram presos faccionados em Campo Grande e também em Aparecida do Taboado.

Ao todo foram expedidos 142 mandados de prisão e 142 de busca e apreensão. Os de busca foram todos cumpridos, já as prisões foram 120 realizadas no total, das quais 62 foram contra pessoas que já estão presas. Em coletiva de imprensa com todas as forças policiais atuantes, o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Santa Catarina esclareceu que a operação visava impedir a expansão da facção naquele estado.

Para isso, foram 9 meses de investigação, que qualificou e identificou a forma de atuação do PCC. Segundo a polícia, um investigado chegou a citar que a facção atua em todo território brasileiro e em 28 países no total. A Operação Maserati foi realizada em 45 cidades, em Santa Catarina, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

Durante as investigações, a força-tarefa ainda identificou pelo menos 18 cargos entre os integrantes do PCC, um número ainda menor do que nos locais onde a facção já está estabelecida. Cada faccionado tem uma função, seja de cadastro de membros, venda de drogas, armazenamento de drogas e armas, entre outros.

Só em Santa Catarina, foram apontados 11 homicídios, um sequestro e quatro tentativas de homicídio, além de um roubo cometidos pela facção criminosa. Também foi apurado um faccionado que tentava entrar em um presídio naquele estado, com celulares, drogas e explosivos. A intenção seria de explodir parte da cadeia e provocar uma fuga em massa.

A operação foi denominada Maserati, que segundo o Gaeco é o nome dado pelo PCC para o estado de Santa Catarina. Além de Campo Grande e Aparecida do Taboado, também foram cumpridos mandados em Dourados, Ribas do Rio Pardo, Deodápolis, Fátima do Sul, Jateí e Caarapó.

Jornal Midiamax