Polícia

‘Nunca foi de briga com ninguém’, diz vizinha sobre execução de rapaz na Moreninhas

Vizinhos e parentes falaram na manhã desta sexta-feira (26), ao Jornal Midiamax sobre o assassinato de Diego da Silva Magalhães de 20 anos afirmando que ele era um rapaz tranquilo e que não brigava com ninguém. ‘Mosquito Dieguinho’ foi assassinado com tiros nas costas e cabeça, no bairro Moreninhas, na tarde desta quinta-feira (25). Ele […]

Thatiana Melo Publicado em 26/03/2021, às 10h00

(Reprodução Facebook)
(Reprodução Facebook) - (Reprodução Facebook)

Vizinhos e parentes falaram na manhã desta sexta-feira (26), ao Jornal Midiamax sobre o assassinato de Diego da Silva Magalhães de 20 anos afirmando que ele era um rapaz tranquilo e que não brigava com ninguém. ‘Mosquito Dieguinho’ foi assassinado com tiros nas costas e cabeça, no bairro Moreninhas, na tarde desta quinta-feira (25). Ele estava na companhia de um adolescente de 15 anos quando o crime aconteceu.

Uma moradora da região, que não quis se identificar, contou que Diego sempre passava cumprimentando a todos, sempre com respeito e que não mexia com ninguém. Um familiar relatou que o rapaz era muito calmo. “Ele já tinha resolvido o problema dele com o mundo do crime”, falou.

Outra moradora disse acreditar que Diego acabou sendo assassinado por causa de brigas de vizinhos, mas não quis entrar em detalhes. Ela ainda falou que a vítima já tinha saído do mundo do crime.

Execução

Diego estava na companhia de um adolescente de 15 anos quando por volta das 14h45 desta quinta (25) os dois voltavam pela trilha, que seria usada como um atalho que fica aos fundos do Parque Jaques da Luz, depois de um jogo de futebol. Mas, a dupla parou no meio do caminho para procurar um chinelo que Diego havia perdido no meio do mato quando foram surpreendidos pelo autor que estava na companhia de outro homem. O assassino estava em uma motocicleta.

O autor desceu e colocou o capacete na testa apontando a arma para Diego e o adolescente. Em seguida, o assassino mandou que Diego se ajoelhasse e depois que o garoto corresse assim como Diego. Neste momento, o autor fez os disparos acertando as costas da vítima.

O adolescente ainda contou que depois que percebeu que estava abrigado viu quando o autor fez outro disparo na cabeça de Diego. Foi feito, um disparo em direção ao garoto, que não foi atingido. A polícia fez a apreensão de um celular, um projétil e uma porção de maconha, além de uma faca caída próximo ao corpo de Diego.

Passagens pela polícia

A irmã de Diego relatou que, apesar das inúmeras passagens pela polícia, o rapaz tinha deixado o crime. Ele estava trabalhando com entrega de comida por aplicativo e morava junto com a irmã. Diego já respondeu por crimes como roubo, furto e tráfico de drogas.

Jornal Midiamax