Polícia

Motorista ganharia uma carreta bitrem para entregar 29 toneladas de maconha

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) apreendeu na manhã desta segunda-feira (08), na rodovia BR-267, na saída de Maracaju para Rio Brilhante, a 160 quilômetros de Campo Grande, uma carreta bitrem carregada com 29,2 toneladas de maconha.  A droga tinha como destino São Paulo (SP). Conforme apurado, os fardos do entorpecente estavam escondidos em meio a […]

Renan Nucci Publicado em 08/02/2021, às 14h02 - Atualizado em 10/02/2021, às 09h18

Fardos de maconha estavam escondidos em meio a carga de milho. Foto: Sidnei Bronka
Fardos de maconha estavam escondidos em meio a carga de milho. Foto: Sidnei Bronka - Fardos de maconha estavam escondidos em meio a carga de milho. Foto: Sidnei Bronka
Motorista ganharia uma carreta bitrem para entregar 29 toneladas de maconha
Carregamento foi apreendido pela PRF em Maracaju. Foto: Sidnei Bronka

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) apreendeu na manhã desta segunda-feira (08), na rodovia BR-267, na saída de Maracaju para Rio Brilhante, a 160 quilômetros de Campo Grande, uma carreta bitrem carregada com 29,2 toneladas de maconha. 

A droga tinha como destino São Paulo (SP). Conforme apurado, os fardos do entorpecente estavam escondidos em meio a uma carga de milho. O motorista do veículo foi preso em flagrante. Ele disse que é morador de Guarujá (SP) e havia acabado de carregar.

Explicou ainda que foi contratado para fazer o frete, mediante a promessa de que receberia a carreta como pagamento pelo serviço, caso obtivesse êxito. No entanto, ele não informou quem teria feito contato. 

Os fardos tinha cores, tamanhos e formas diferentes, o que indica que teria vários destinatários, em um consórcio do tráfico. Este tipo de consórcio é comum e ocorre quando traficantes se unem para transportar grande quantidade de entorpecente, diminuindo custos com logística.

Diante dos fatos, o homem foi encaminhado à delegacia da Polícia Federal em Dourados, onde foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. As investigações prosseguem no sentido de identificar os responsáveis pela logística do material.

Colaborou Sidnei Bronka

Jornal Midiamax