Polícia

Morto em acidente, caminhoneiro atingiu veículo conduzido por amigo na BR-163

O caminhoneiro Ricardo Antônio Nunes Diel, de 52 anos, que faleceu após acidente na manhã desta sexta-feira (12), era amigo do outro motorista que conduzia o caminhão no qual ele colidiu. Os dois trabalhavam juntos na mesma empresa e a vítima chegou a ser socorrida pelo amigo. Ambos teriam dormido em Dourados, descarregado os caminhões […]

Danielle Errobidarte Publicado em 12/03/2021, às 13h36 - Atualizado em 13/03/2021, às 08h17

Acidente ocorreu na BR-163 e vítima ficou presa nas ferragens, mas não resistiu. (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros)
Acidente ocorreu na BR-163 e vítima ficou presa nas ferragens, mas não resistiu. (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros) - Acidente ocorreu na BR-163 e vítima ficou presa nas ferragens, mas não resistiu. (Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros)

O caminhoneiro Ricardo Antônio Nunes Diel, de 52 anos, que faleceu após acidente na manhã desta sexta-feira (12), era amigo do outro motorista que conduzia o caminhão no qual ele colidiu. Os dois trabalhavam juntos na mesma empresa e a vítima chegou a ser socorrida pelo amigo. Ambos teriam dormido em Dourados, descarregado os caminhões no dia anterior, e seguiam para seu estado natal, no Rio Grande do Sul.

Conforme informações do registro policial, o outro condutor explicou, em depoimento na delegacia, que por volta das 6h foi atingido na parte traseira pelo caminhão dirigido por Ricardo. O impacto, segundo ele, se deu após passar por um quebra-molas.

Conduto,as informações preliminares do Corpo de Bombeiros dizem que a vítima conduzia um caminhão que transportava suínos vivos, não conseguiu frear e bateu gravemente na traseira do outro veículo.

Ele explicou que imediatamente parou o veículo e correu para ver o estado de saúde do outro condutor. Ao chegar na cabine, viu que era Ricardo, seu colega de trabalho, e que ele ainda estava respirando, mas estava preso ao cinto e às ferragens.

O caminhoneiro contou que foi ele quem cortou o cinto e pediu para que pessoas que passavam pelo local chamassem a polícia e o Corpo de Bombeiros. Passados alguns minutos, ele percebeu que Ricardo havia parado de respirar. Em seguida, finaliza, chegaram as guarnições dos Bombeiros e da PRF (Polícia Rodoviária Federal), que confirmaram o óbito.

Ainda conforme o motorista, ele realizou o teste do bafômetro, que comprovou que não tinha ingerido bebida alcoólica.

Jornal Midiamax