Membro do PCC que torturou por 12 horas e queimou corpo de rival vai a julgamento

Vítima teria postado em rede social foto com símbolo da facção rival Comando Vermelho

Vai a julgamento o membro da facção criminosa (Primeiro Comando da Capital) Fernando Barbosa da Silva acusado da de Edgar Nunes da Silva, em novembro de 2018, após a vítima ser julgada no por ser da facção rival CV (). Em outubro de 2020, Paulo Henrique da Silva Lemes também acusado pelo crime foi condenado a 18 anos de prisão.

A designação do tribunal do júri de Fernando Barbosa foi publicada no Diário da Justiça desta sexta-feira (22). O julgamento do membro da facção deve acontecer no dia 3 de fevereiro, em Campo Grande, às 8 horas.

Edgar foi encontrado carbonizado dentro de um veículo Fiat Uno, na região do Nova Lima, no dia 18 de novembro. A ordem da execução de Edgar teria saído de dentro Penitenciaria de Segurança da Capital. Dois adolescentes participaram do assassinato na época.

A vítima foi assassinada com diversas facadas no pescoço e teria ficado em cárcere privado por aproximadamente 12 horas. Edgar que seria do Comando Vermelho conhecia os autores, que faziam parte da facção rival PCC. Edgar estaria recebendo ameaças dos autores depois de postar no Facebook uma foto em que fazia alusão ao Comando Vermelho.

Na tentativa de se entender com os autores, Edgar ainda teria ido até a casa de Paulo para tentar resolver o problema, mas quando chegou na residência no bairro Tarsila do Amaral acabou sendo amarrado e julgado pelo ‘Tribunal do Crime’ do PCC. Ele foi executado na casa a mando de presidiários da e teve o corpo queimado dentro do carro, que foi abandonado na região do bairro Nova Lima.

Membro do PCC que torturou por 12 horas e queimou corpo de rival vai a julgamento
Mais notícias