Polícia

Mãe e filho são presos suspeitos de envolvimento em assassinato no Jardim Sayonara

Na segunda-feira (29), mãe e filho de 52 e 29 anos foram presos em uma residência no Jardim Sayonara, por tráfico de drogas. Contra o homem também havia um mandado de prisão temporária, por suspeita de ter sido um dos autores da morte de Gustavo Miranda de Souza, 32 anos, no dia 27 de janeiro. […]

Renata Portela Publicado em 30/03/2021, às 13h51 - Atualizado em 31/03/2021, às 00h40

Gustavo foi morto a tiros em janeiro (Arquivo, Midiamax)
Gustavo foi morto a tiros em janeiro (Arquivo, Midiamax) - Gustavo foi morto a tiros em janeiro (Arquivo, Midiamax)

Na segunda-feira (29), mãe e filho de 52 e 29 anos foram presos em uma residência no Jardim Sayonara, por tráfico de drogas. Contra o homem também havia um mandado de prisão temporária, por suspeita de ter sido um dos autores da morte de Gustavo Miranda de Souza, 32 anos, no dia 27 de janeiro.

As investigações feitas pela 7ª Delegacia de Polícia Civil apontavam que, no dia anterior ao homicídio, Gustavo teria ido até a casa da mulher de 52 anos. Ela estaria comercializando entorpecentes no local e, naquele dia, teve um desentendimento com Gustavo por causa de um troco errado.

No dia Seguinte, Gustavo teria retornado ao local e brigado então com o filho da suspeita, de 29 anos, que o agrediu a socos. Após a briga, o homem então teria seguido e atirado contra Gustavo, que foi morto a tiros.

Prisão em flagrante

Mãe e filho são presos suspeitos de envolvimento em assassinato no Jardim Sayonara
(Divulgação, Polícia Civil)

Com os mandados de prisão temporária e também de busca e apreensão na casa, os policiais civis foram até o local, com equipe do Canil do Batalhão de Choque. Assim, abordaram o homem de 29 anos perto da residência e, na casa, com auxílio do cão Ozzy, foram encontradas 87 porções de pasta base de cocaína, além de uma porção de maconha.

A droga foi apreendida e configurou que no local ocorria o tráfico do entorpecente. Mãe e filho foram presos, tiveram as prisões em flagrante por tráfico convertidas em prisão preventiva e não quiseram dar declarações durante o interrogatório na delegacia.

Assassinato

Testemunhas relataram no dia do crime que Gustavo era usuário de drogas e que, após ser atingido pelos disparos, caiu na varanda de um local conhecido na região como ponto de compra e venda de entorpecentes.

Segundo moradores, dois rapazes em uma motocicleta reduziram a velocidade ao se aproximarem e teriam discutido com Gustavo, atirando em seguida. Ele ainda teria tentado correr para dentro do imóvel, uma casa abandonada, mas não resistiu aos ferimentos.

Jornal Midiamax