Polícia

Mãe e filho pulam janela para fugir de incêndio e menino sofre queimaduras

Durante um incêndio na manhã deste sábado (6), no Núcleo Industrial em Campo Grande, um garoto de 12 anos sofreu queimaduras de 2º grau quando ele e sua mãe, de 31 anos, ficaram presos dentro do quarto em chamas e tiveram de pular a janela para fugir do fogo. A quitinete fica em uma vila […]

Thatiana Melo Publicado em 06/03/2021, às 10h36 - Atualizado às 10h42

(Leonardo França, Midiamax)
(Leonardo França, Midiamax) - (Leonardo França, Midiamax)

Durante um incêndio na manhã deste sábado (6), no Núcleo Industrial em Campo Grande, um garoto de 12 anos sofreu queimaduras de 2º grau quando ele e sua mãe, de 31 anos, ficaram presos dentro do quarto em chamas e tiveram de pular a janela para fugir do fogo.

A quitinete fica em uma vila de casas e teve um dos cômodos destruídos pelas chamas. O incêndio começou no quarto em um colchão de solteiro que estava no chão. No momento só estavam na casa a mãe e o garoto, sendo que as outras crianças, duas meninas, estavam na casa da avó e o marido da mulher trabalhando.

A dona de casa contou ao Corpo de Bombeiros que estava lavando roupas do lado de fora enquanto seu filho estava lavando a louça, sendo que ouviu um estrondo e entrou para ver o que era, mas como não viu nada voltou para fora e nesse momento o filho gritou avisando do fogo.

A mulher entrou no quarto e viu que um dos colchões de solteiro pegava fogo. ela retirou o colchão para fora e voltou com o filho para retirar o outro colchão, mas os dois ficaram presos no quarto já que as chamas estavam altas e se alastraram rapidamente.

Mãe e filho tiveram de pular a janela do quarto para fugirem do fogo, e a criança acabou sofrendo queimaduras de 2º grau nas pernas, sendo socorrida pelos bombeiros e encaminhada para a Santa Casa. Um curto-circuito seria a causa do incêndio, já que segundo os bombeiros a fiação da casa era muito precária. A dona de casa disse que pagava de aluguel R$ 300 e que estava morando com a família no local desde outubro de 2020.

O incêndio foi apagado com a ajuda de vizinhos que usaram baldes de água e mangueira, sem precisar da intervenção do Corpo de Bombeiros, que fez o rescaldo. Tudo que estava no quarto foi queimado, roupas, documentos, cama, colchão e agora a família precisa de doação e quem puder ajudar, (67) 98457-1803 Gisele Ester Oliveira.

Jornal Midiamax