Liderança do PCC, ‘Bonitão’ foi alvo de ação da PF que apreendeu granadas e carros de luxo

No dia ele não foi encontrado e estava foragido

Após a prisão e extradição de Giovanni Barbosa da Silva, o ‘Bonitão’, a revelou que ele estava foragido desde a Operação Exílio, realizada em 25 de junho de 2020 em Ponta Porã, a 346 quilômetros de Campo Grande. Giovanni é apontado como liderança do (Primeiro Comando da Capital) responsável por tráfico de armas e drogas na região de fronteira com o .

Na operação, um membro do que estava foragido de São Paulo chegou a ser preso. Foram cumpridos 10 mandados e apreendidos 14 granadas, 4 fuzis, 2 pistolas Glock, 250 quilos de maconha e R$ 50 mil em espécie. Também foram apreendidos 7 carros de luxo, entre eles uma Mercedes e uma Range Rover.

Segundo a , o armamento seria usado em uma empreitada do , mas não foram revelados mais detalhes. O grupo foi investigado por aproximadamente três meses, após a quadrilha ser descoberta por conta de uma grande movimentação de carros luxuosos na casa dos alvos.

Os investigados eram responsáveis por um grande esquema de tráfico de armas e drogas para o . Também foram cumpridos mandados em São Paulo, mas Giovanni conseguiu driblar a polícia e ficou foragido. No entanto, ele teria continuado no e acabou preso no último sábado (9).

Prisão e tentativa de

Liderança do PCC, ‘Bonitão’ foi alvo de ação da PF que apreendeu granadas e carros de luxo

Bonitão foi detido pela polícia do , andando em uma camionete pelas ruas de Pedro Juan Caballero com um fuzil nas mãos. Após a prisão, na madrugada de domingo, grupo fortemente armado com fuzis tentou resgatar o chefe do do departamento de investigações, onde estava detido.

Houve troca de tiros e um policial foi feito , mas o ataque foi frustrado. Uma pessoa ficou ferida e foi levada ao hospital em Pedro Juan Caballero em estado grave. Horas após o ataque, o presidente do Mario Abdo se pronunciou pelas redes sociais, anunciando que expulsaria Giovanni do país.

Bonitão foi levado até Ciudad del Este, onde foi extraditado pela Ponte da Amizade e entregue à no Paraná.

Liderança do PCC, ‘Bonitão’ foi alvo de ação da PF que apreendeu granadas e carros de luxo
Mais notícias