Polícia

Executado a tiros dentro de caminhonete era dono de empresa de guincho

Identificado como Davi Roneyo homem executado a tiros na tarde desta quinta-feira (04), na saída para Antônio João, em Ponta Porã, cidade a 313 quilômetros de Campo Grande. Davi era proprietário de uma empresa de guinchos na cidade. Ele foi assassinado com vários tiros de pistola. Informações são de que a vítima trafegava em uma […]

Diego Alves Publicado em 04/03/2021, às 23h59 - Atualizado em 05/03/2021, às 00h01

Vítima foi assassinada dentro de uma caminhonete. Foto: Ponta Porã News
Vítima foi assassinada dentro de uma caminhonete. Foto: Ponta Porã News - Vítima foi assassinada dentro de uma caminhonete. Foto: Ponta Porã News

Identificado como Davi Roneyo homem executado a tiros na tarde desta quinta-feira (04), na saída para Antônio João, em Ponta Porã, cidade a 313 quilômetros de Campo Grande. Davi era proprietário de uma empresa de guinchos na cidade.

Ele foi assassinado com vários tiros de pistola. Informações são de que a vítima trafegava em uma caminhonete F-250 pela periferia da cidade, na região da saída para Antônio João, quando foi atacada por um pistoleiro, sendo baleada principalmente no lado esquerdo do corpo.

O homem morreu dentro do veículo, antes que pudesse ser transportado. Equipes da Polícia Militar e Polícia Civil estiveram no local, e ainda não há detalhes sobre autoria e motivação do crime.

Este é o quarto assassinato na fronteira somente nesta quinta-feira. Maria Carolina Pulquério, de 19 anos, e Adeilton Rocha dos Santos, de 52 anos, foram mortos e deixados nas proximidades de uma unidade da JBS, em Ponta Porã.

Além deles, pistoleiros executaram o pecuarista brasileiro Rival Aparecido de Oliveira, de 66 anos, também nesta tarde, em uma fazenda localizada na colônia Nova Esperança, região do distrito de Yby Yaú, no Paraguai.

Jornal Midiamax