Polícia

Ex-namorado que matou Yasmin com 10 tiros em Campo Grande se torna réu

Na última semana, o juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, recebeu a denúncia contra Hércules Alves de Souza por feminicídio qualificado. O rapaz de 21 anos é acusado de assassinar Yasmin Beatriz Almeida Guedes, 18 anos, no Jardim Colibri em Campo Grande, com 10 tiros. A denúncia foi apresentada […]

Renata Portela Publicado em 26/03/2021, às 15h48

Hércules foi preso em fevereiro e agora é réu por feminicídio (Divulgação, PCMS)
Hércules foi preso em fevereiro e agora é réu por feminicídio (Divulgação, PCMS) - Hércules foi preso em fevereiro e agora é réu por feminicídio (Divulgação, PCMS)

Na última semana, o juiz Aluizio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, recebeu a denúncia contra Hércules Alves de Souza por feminicídio qualificado. O rapaz de 21 anos é acusado de assassinar Yasmin Beatriz Almeida Guedes, 18 anos, no Jardim Colibri em Campo Grande, com 10 tiros.

A denúncia foi apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) em 19 de março e recebida no mesmo dia. Conforme a acusação, o crime aconteceu por volta das 0h45 daquele dia 29 de setembro de 2020. Ainda segundo a peça, Hércules e Yasmin tiveram um relacionamento por aproximadamente um ano.

Neste período, eles terminaram e voltaram algumas vezes e, no dia do crime, estavam mantendo o relacionamento, mas não publicamente. Durante o relacionamento conturbado, Hércules já tinha praticado violência doméstica contra a vítima, inclusive cortando o cabelo dela em uma das ocasiões.

Ex-namorado que matou Yasmin com 10 tiros em Campo Grande se torna réu
Corrida feita pela vítima (Reprodução)

No dia do crime, Yasmin estava com uma amiga quando recebeu ligação de Hércules e foi até ele após pedir corrida por um aplicativo. Quando se encontraram, Hércules atirou várias vezes contra a vítima, que foi atingida por 10 disparos na cabeça, tórax e braços.

Após os fatos, Hércules fugiu e só foi encontrado e preso no dia 21 de fevereiro de 2021. Para o MPMS, o acusado cometeu feminicídio qualificado por motivo torpe, já que a ‘desculpa’ seria o ciúme exacerbado que sentia da vítima. Também agiu com recurso que dificultou a defesa de Yasmin.

Após a prisão, Hércules não quis dar declarações no interrogatório, ficando em silêncio.

Jornal Midiamax