Polícia

Em boletim de ocorrência, polícia confirma que PRF tentou suicídio em apartamento

Em boletim de ocorrência, a Polícia Civil confirmou que o policial rodoviário federal, Ricardo Hyun Su Moon, tentou suicídio em seu apartamento, no bairro Monte Castelo, em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (08). Ele foi socorrido em estado grave. Ricardo foi condenado pela morte do empresário Adriano Correa, que ocorreu em dezembro de 2016, […]

Dayene Paz Publicado em 08/03/2021, às 12h54 - Atualizado em 09/03/2021, às 09h07

Foto: Marcos Ermínio
Foto: Marcos Ermínio - Foto: Marcos Ermínio

Em boletim de ocorrência, a Polícia Civil confirmou que o policial rodoviário federal, Ricardo Hyun Su Moon, tentou suicídio em seu apartamento, no bairro Monte Castelo, em Campo Grande, na manhã desta segunda-feira (08). Ele foi socorrido em estado grave. Ricardo foi condenado pela morte do empresário Adriano Correa, que ocorreu em dezembro de 2016, em uma briga de trânsito.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil, o PRF foi encaminhado para um hospital particular pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em estado grave. No apartamento, a Polícia Civil encontrou medicamentos e outros elementos que indicam a tentativa de suicídio.

No entanto, mesmo com os indícios, haverá uma investigação sobre o caso. Seguindo o que preconiza a OMS (Organização Mundial de Saúde) a respeito de divulgação de casos de suicídio, o Jornal Midiamax não detalhará neste texto a forma como o PRF tentou tirar a própria vida.

Condenado

Ricardo é acusado pela morte do empresário Adriano Correano dia 31 de dezembro de 2016. O PRF estava a caminho do trabalho, quando quase ocorreu uma colisão entre os veículos do policial e de Adriano. Então, ele teria barrado a passagem dos três ocupantes da camionete, quando Adriano manobrou o veículo para sair e Ricardo atirou. Neste momento, um dos passageiros pulou da camionete e fraturou um membro do corpo.

Já o outro ocupante foi atingido por tiros, mas foi socorrido e se recuperou. Adriano, que também foi ferido a tiros, morreu no local.

Ricardo foi a júri popular pelo homicídio após a briga no trânsito e acabou condenado a 23 anos de prisão. Ele ainda recorreu da sentença e pediu anulação do julgamento, mas o pedido não foi aceito.

Precisa de ajuda?

O CVV (Centro de Valorização da Vida) fornece apoio emocional e prevenção do suicídio, o atendimento é voluntário e gratuito à todas as pessoas que precisam conversar, a ajuda é fornecida com total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Telefone – Ligue 188 (ligação gratuita)

Chat – Através do link https://www.cvv.org.br/chat/

E-mail – Através do site https://www.cvv.org.br/e-mail/

Jornal Midiamax