Polícia

Dono de arma que teria sido usada no assassinato de idoso é preso em ponto de tráfico de drogas

Ele confessou ter emprestado sua arma no dia do assassinato; casa dele funcionava como ponto de venda de drogas

Danielle Errobidarte Publicado em 07/04/2021, às 17h55

Arma foi localizada e homem responderá por homicídio e tráfico de drogas.
Arma foi localizada e homem responderá por homicídio e tráfico de drogas. - (Foto: Divulgação/ PC)

Foi apreendida nesta quarta-feira (7), a arma que teria sido a utilizada no assassinato de Veríssimo Coelho, de 61 anos, no último dia 1, em Dourados, distante 225 km da Capital. O principal suspeito da autoria do homicídio é o sobrinho da vítima. A arma estava em uma residência que também era ponto de venda de entorpecentes, e a moradora confessou que seu marido teria entregue uma arma para outro homem, no dia do crime. Ele também responderá por homicídio, além de tráfico de drogas.

Os policiais receberam denúncia de que a arma de fogo utilizada no homicídio estaria escondida em uma casa do bairro Canaã IV. Ao chegar no local, os policiais confirmaram que o casal proprietário era conhecido pelo envolvimento em tráfico de drogas. O local funcionava como ponto de venda de entorpecentes.

A irmã da proprietária recebeu os policiais e autorizou a entrada. No interior foram apreendidas cinco porções de maconha, 36 trouxinhas de pasta base de cocaína e R$ 326 em espécie. Durante a vistoria, a proprietária chegou e alegou que o marido não morava mais naquele endereço.

Contudo, os agentes receberam informações de que o suspeito teria conseguido fugir em uma bicicleta. Ela confessou que o marido entregou uma arma a um homem, no mesmo dia do assassinato.

O suspeito foi encontrado no Bairro João Paulo Segundo, com outro homem, contra qual tinha um mandado de prisão em aberto. A arma do crime foi localizada e o suspeito preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, junto com sua esposa. Ele também responderá pelo crime de homicídio.

Sobrinho teria forjado execução

Preso em flagrante pelo homicídio de Veríssimo Coelho dos Santos, de 61 anos, sobrinho de 28 anos não colaborou com as investigações e negou qualquer participação, mas teria forjado o crime. O caso foi descoberto na quinta-feira (1º), quando a vítima foi encontrada morta a tiros de pistola em Dourados.

Após Veríssimo ser encontrado morto dentro da Silverado branca, no banco do passageiro, a Polícia Civil começou as investigações e identificou que a última pessoa a estar com o idoso era o sobrinho. Além disso, imagens de câmeras de segurança mostravam que a camionete teria chegado ao local onde foi encontrada por volta das 10 horas do dia anterior, quarta-feira (31).

Após a camionete parar na estrada, na região da Sitioca Campina Verde, é possível ver a série de tiros. No entanto, nenhum veículo teria passado no local para buscar o autor, indicando que ele poderia ser morador na região. O sobrinho de Veríssimo vivia a apenas alguns metros do local do crime.

Pelas investigações, foi apurado que o rapaz de 28 anos teria tido uma briga com o tio na chácara, após um churrasco que fizeram, e o lesionou na cabeça, possivelmente com objeto perfuro-cortante. Depois, forjou o local do crime, levando a vítima já debilitada até a Silverado e a colocando no banco do passageiro.

Depois, teria dirigido a camionete até o local onde o corpo foi encontrado e atirou várias vezes contra a vítima, tentando simular o crime. Foram apreendidas 17 cápsulas de pistola no local, sendo 16 percutidas. Mesmo preso, o rapaz negou qualquer participação no crime e tentou indicar que outra pessoa teria assassinado o tio.

Foi feito pedido de conversão da prisão, acatado pelo juiz em audiência de custódia. Assim, o sobrinho de Veríssimo fica preso preventivamente enquanto o caso segue em investigação. A princípio, ele e o tio tiveram um acordo comercial recente em que veículos do idoso foram passados para o nome do autor.

Jornal Midiamax