Polícia

Destruição de lavouras causa prejuízo de U$ 57 milhões ao narcotráfico na fronteira em MS

Com a utilização de helicópteros da Força Aérea do Paraguai e da Polícia Federal brasileira, foram localizadas e destruídas 1.928 toneladas de maconha que seriam processadas  e coladas em circulação no mercado. O prejuízo aos narcotraficantes está calculado em mais de 57 milhões de dólares. As ações que tem como foco as plantações de maconha […]

Marcos Morandi Publicado em 31/03/2021, às 09h41 - Atualizado às 10h24

Agentes federais pousam em plantação  de maconha.(Foto: Senad)
Agentes federais pousam em plantação de maconha.(Foto: Senad) - Agentes federais pousam em plantação de maconha.(Foto: Senad)

Com a utilização de helicópteros da Força Aérea do Paraguai e da Polícia Federal brasileira, foram localizadas e destruídas 1.928 toneladas de maconha que seriam processadas  e coladas em circulação no mercado. O prejuízo aos narcotraficantes está calculado em mais de 57 milhões de dólares.

As ações que tem como foco as plantações de maconha em território paraguaio, fazem parte da Operação Nova Aliança XXV, desencadeada pela Senad (Secretaria Nacional Antidrogas), que avançaram sobre Cerro Kuatiá, Alpasa e Bella Vista Norte, no Departamento de Amambay.

No total, foram eliminados cerca de 635 hectares de lavouras de maconha. A maior parte do cultivo da droga estava localizada em áreas de difícil, como regiões montanhosas que também abrigavam laboratórios de processamento.

Além das lavouras já destruídas e incineradas, os agentes também localizaram um entreposto que armazenava mais de 23 toneladas de maconha já prontas para serem distribuídas na fronteira.

Jornal Midiamax