Polícia

Criança de 8 anos recebe imagens pornográficas em rede social e polícia investiga

Uma criança de oito anos foi vítima de um pedófilo na cidade de Paraíso das Águas, a 277 quilômetros de Campo Grande. Nesta semana, se passando por outra criança, o suspeito teria enviado imagens pornográficas para a vítima, que utilizava uma rede social. A Polícia Civil investiga o caso e suspeita que o autor faça […]

Dayene Paz Publicado em 05/03/2021, às 12h58 - Atualizado às 13h03

Delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas. Foto: MS Todo Dia
Delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas. Foto: MS Todo Dia - Delegacia de Polícia Civil de Paraíso das Águas. Foto: MS Todo Dia

Uma criança de oito anos foi vítima de um pedófilo na cidade de Paraíso das Águas, a 277 quilômetros de Campo Grande. Nesta semana, se passando por outra criança, o suspeito teria enviado imagens pornográficas para a vítima, que utilizava uma rede social. A Polícia Civil investiga o caso e suspeita que o autor faça parte de uma organização criminosa internacional.

De acordo com o delegado Alexandro Mendes de Araújo, titular da DP de Paraíso das Águas, o caso chegou até o conhecimento da Polícia Civil na última quarta-feira (03). A criança usava uma rede social, quando o suspeito, usando um perfil falso, teria adicionado como “amigo”. A partir daí, ganhou a confiança da criança. “Simulando também ser uma criança, o criminoso solicitou amizade, ganhou a confiança até o ponto de convence-la a enviar nudes. Ele ainda chegou a enviar fotos de seus órgãos genitais”, revela o delegado Mendes.

Ao tomar conhecimento, a mãe procurou a delegacia e o caso passou a ser acompanhado pelos investigadores. “Iniciamos as diligências e há suspeita de que esse pedófilo faça parte de uma organização criminosa internacional”, disse Alexandro em entrevista ao site BNC Notícias. Diante da gravidade do caso, a polícia já pediu a quebra de sigilo e aguarda decisão judicial. “Caso for comprovado que esse autor faça parte de alguma organização, o caso será levado a Polícia Federal”.

O delegado alerta para que os pais se mantenham mais atentos ao que os filhos fazem nas redes sociais. “O que acende de fato o alerta para todos os pais e responsáveis de menores, é que os cuidados sejam redobrados quanto ao uso de celulares e computadores. A criança e o adolescente deve ser monitorado com frequência pelos seus responsáveis e ainda, com quem está andando, as companhias e o que andam fazendo. É obrigação e responsabilidade dos pais”, destacou.

Jornal Midiamax