Corregedoria revoga afastamento compulsório de policial civil preso na Omertà

Ele ganhou liberdade provisória em outubro de 2020

Nesta segunda-feira (11), foi publicada no a revogação do afastamento compulsório do policial civil Elvis Elir de Camargo, alvo da Operação Omertà preso em 2019. Ele ganhou liberdade provisória em outubro de 2020, mediante medidas cautelares.

Conforme a publicação, assinada pelo delegado Devair Aparecido Francisco, corregedor-geral em substituição legal, a decisão conta desde sexta-feira (8). A medida foi tomada considerando a decisão do juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal, que determinou a expedição do alvará de soltura do policial civil no dia 29 de outubro de 2020.

Elvis é investigador lotado na 1ª Delegacia de de Ponta Porã e foi afastado em 2 de outubro de 2019. De acordo com a decisão do juiz, ele não pode se ausentar da comarca por mais de 8 dias sem autorização, nem mudar de endereço sem prévia comunicação. Também deve comparecer a todos os atos do processo e nem pode manter contato com as testemunhas dos processos em que é réu.

Além disso, o policial deve se recolher em casa entre as 20 horas e 6 horas durante a semana, além dos finais de semana e feriados durante todo o dia. Por 180 dias desde que foi solto ele permanecerá em monitoramento eletrônico por tornozeleira e conforme o juiz fica suspenso do exercício da função pública no que diz respeito a investigação ou uso de arma de fogo.

Com isso, a Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e ) pode colocar Elvis em cargo de atividade administrativa. Se descumprir qualquer medida ele retorna à prisão.

Corregedoria revoga afastamento compulsório de policial civil preso na Omertà
Mais notícias